Definir um orçamento pessoal ou familiar não é tarefa fácil. Exige tempo e dedicação, mas sobretudo paciência para detalhar os seus rendimentos, as despesas mensais e onde pode cortar. Mesmo assim, por vezes, este acaba por não surtir o efeito desejado. Por isso, reunimos neste artigo algumas das razões que podem explicar o porquê do seu orçamento não estar a resultar.

1. O seu orçamento não é realista

Este é um dos maiores desafios, especialmente quando se trata da primeira vez. Por vezes, encontra-se tão focado em controlar os gastos que acaba por cortar em determinadas coisas que tornam o orçamento, por si só, utópico. Pode até ser fácil simplificar despesas que não são fixas, como combustível ou alimentação, criando uma falsa sensação de que "está tudo controlado". No entanto, pode não ser bem assim.

Por exemplo, se costuma gastar cerca de 200 euros em roupa e calçado todos os meses, dificilmente vai conseguir baixar este valor para 20€ por mês logo após definir o orçamento. Isto acontece, porque um orçamento representa, em grande parte, os hábitos que queremos ter. Não só se trata de uma decisão financeira, mas também de uma mudança comportamental. Por isso, comece por passos simples e metas realistas para não se desiludir caso verifique que o orçamento não está a produzir os resultados esperados.

2. Não faz um ajuste periódico

Outra razão para o seu plano não estar a resultar prende-se com o facto de olhar para o seu orçamento como se este nunca pudesse ser alterado. Por muito que o queira cumprir, deve ser sempre flexível.

Como as despesas e os hábitos de consumo podem sofrer alterações, é importante que o orçamento pessoal ou familiar também seja reajustado e esteja enquadrado com a fase da vida em que se encontra.

3. As despesas são superiores aos seus rendimentos

Se os seus rendimentos não chegam para as suas despesas, então o problema não está no orçamento que definiu, mas sim nos gastos que tem. Por isso, deve identificar o que é que está a consumir uma maior fatia dos seus rendimentos e tentar reduzi-las, de forma a cumpri-lo.

Inicialmente, esta tarefa pode ser complicada. Muitas vezes, estas despesas acabam por encaixar-se nas categorias que lhe acrescenta conforto. No entanto, a sua situação financeira vai deteriorar-se gradualmente se não fizer alguma alteração a esse respeito. Especialmente, se tiver uma redução abrupta dos seus rendimentos. Assim, é importante que os gastos estejam controladps, de forma a usufruir de uma vida financeira mais tranquila.

4. Não contabiliza certas despesas

Um dos maiores desafios ao definir um orçamento é conseguir contabilizar tudo aquilo que gasta. Não incluir todas as despesas no seu orçamento pode "deitar por terra" o trabalho que teve ao defini-lo. Isto significa que os valores gastos mensalmente nunca vão ser reais. Isto é, se as suas despesas não corresponderem ao que orçamentou, então muito provavelmente não contabilizou algo que deveria ter englobado. Por isso, verifique todos os recibos e transações bancárias que realizou nos últimos meses.

5. Não vigia as despesas

Um dos maiores erros que as pessoas cometem ao orçamentar as suas despesas prende-se em apontar num papel, de forma sucinta, apenas os gastos mais relevantes. No entanto, ao final do mês, todos os cêntimos contam. Assim, ao manter uma lista organizada dos seus encargos e vigiá-los periodicamente, torna este processo mais simples e provável de resultar. Se já tiver excedido o que orçamentou para uma determinada categoria, então é altura de diminuir os gastos. Da mesma forma, se ainda faltam três semanas para acabar o mês e já despendeu 50% do seu orçamento, então significa que algo não está correto. Logo, esta monitorização vai ajudá-lo a ficar mais consciente do que já gastou e quando deve abrandar.

6. Descuida-se quando as finanças já estão controladas

Quando as finanças pessoais já se encontram sob controlo, por vezes existe a tendência de "quebrar" a rotina. Esta tendência pode acabar por anular completamente o esforço inicial e, provavelmente, levá-lo a concluir que definir um orçamento não lhe traz benefício nenhum. No entanto, uma das chaves para o sucesso financeiro é a consistência. Quanto mais tempo fizer uma determinada tarefa bem feita, mais difícil se torna voltar a maus hábitos passados.

7. Corta em tudo e não reserva dinheiro para lazer

Orçamentar os seus gastos não significa necessariamente que não pode gastar dinheiro em lazer. Aliás, se não alocar uma certa quantia para essas atividades, o mais provável é que fique desmotivado ao ponto de já não querer fazer um novo orçamento. Controlar as suas despesas é importante, mas usufruir de momentos de lazer também. Por isso, não torne esse processo ainda mais penoso do que aquilo que já é, especialmente para quem está a iniciar a sua caminhada rumo à estabilidade financeira.

8. Não está a ser sincero consigo próprio

Da mesma forma que ao fazer uma dieta não deve comer doces "às escondidas", no caso de um orçamento não deve gastar dinheiro de forma impulsiva. Caso contrário, só estará a enganar-se a si próprio e a colocar a sua estabilidade financeira em risco. Ainda que não exista nenhum tipo de "punição" por cometer estes excessos, existem consequências. Ter de recorrer ao seu fundo de emergência para realizar pagamentos em atraso ou outras despesas é um dos exemplos. Por isso, se realmente pretende definir um orçamento e cumpri-lo, não deve "quebrar as regras do jogo".

9. As despesas espaçadas no tempo não entram nas contas

Outra razão que leva a que muitos orçamentos falhem deve-se ao facto de as despesas não serem consideradas a longo prazo. Ou seja, nem todas acontecem todos os meses. Por exemplo, o pagamento de IRS ou o seguro de automóvel são encargos anuais. Se não as incluir no seu orçamento, o mais provável é que seja apanhado de surpresa.

Embora estas despesas não ocorram todos os meses, não podem ser consideradas como emergências. Como tal, não deve utilizar o dinheiro disponível no seu fundo 'SOS' para liquidá-las. Ao contrário das emergências, estes gastos acontecem periodicamente e, por essa razão, devem estar contabilizados no seu orçamento.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.