Quantas vezes nos
queixamos ou ouvimos
alguém lamentar-se por
ter a barriga inchada, a
sensação de que está cheia
ou, simplesmente, por sentir
um mal-estar geral e, tudo
isto, porque não consegue ir
à casa de banho tantas vezes
como gostaria?

A obstipação,
ou prisão de ventre é, de facto,
uma queixa comum. Mas
podemos tentar preveni-la e
combatê-la.

A verdade é que, apesar de a obstipação
ser um problema comum, afecta mais
as mulheres do que os homens. Mas
por que será? «Acreditamos que está
relacionado com o ecossistema hormonal
feminino», refere Leopoldo Matos,
gastrenterologista. «O ambiente
hormonal da mulher é propício a que
haja uma alteração no funcionamento do
intestino. As mulheres que são regulares,
normalmente, referem evacuar mais
vezes do que o habitual no período
pré-menstrual. Outras, por exemplo,
que são obstipadas crónicas, durante a
gravidez deixam de ter esse problema, que
reaparece após o parto», explica o especialista.

Inimigos viscerais

Se, por um lado, há uma predisposição
genética para este problema, existem
outros factores que podemos controlar.
«Quando um paciente se queixa que tem
dificuldade em evacuar com regularidade,
nós insistimos muito para que aumente a
sua actividade física, de forma a aumentar
a tonicidade dos músculos abdominais»,
diz-nos o especialista.

«Por outro lado
deve beber bastantes líquidos, para
que as fezes duras e pequenas possam
absorver líquidos da parede dos intestinos,
tornando-se mais volumosas e
moles e, dessa forma, incomodem o
intestino ao ponto de este precisar de
as expulsar» e, continua, «deve também
ingerir fibras, que vão absorver
líquidos das paredes do intestino,
tornando as fezes mais moles e mais
fáceis de expulsar».

Será grave?

Um dos maiores receios de quem vive
esta situação é de que esta possa originar
outros problemas de saúde, «mas
isso, de uma forma geral, não acontece», afiança Leopoldo Matos. «Não
há o perigo de acumulação de toxinas
porque já tudo foi tratado pelo organismo.
Daí que seja possível uma
pessoa estar uma semana sem evacuar
sem consequências de maior», explica.

Mas isto não significa que ficar longos
períodos de tempo sem evacuar
não traga problemas. «Isso leva a que,
a médio e longo prazo, o organismo
crie uma habituação e se verifique a
dilatação progressiva do próprio intestino
que se vai tornando sensível
apenas a volumes maiores de fezes.
Como consequência, vai ser feito um
maior esforço na expulsão, que pode
provocar traumatismos no canal anal e
o aparecimento de hemorróidas, entre
outros efeitos», alerta.

Quando devo procurar o
médico?

«Basicamente, quando a prisão de ventre
começa a incomodá-la», explica Leopoldo
Matos. Isto significa que, apesar
de a regra ser evacuar todos os dias,
se no seu caso o fizer apenas dia sim,
dia não, e isso não a incomodar, pode
considerar-se que tem um intestino
regular. «Se, no entanto, essa situação a
incomoda ou começa a ser superior a
dois ou três dias, então deve procurar o
médico», alerta o especialista.

Veja na página seguinte: As situações em que devemos recorrer a laxantes

O uso de laxantes

«É preferível tomar diariamente uma
quantidade mínima diária de laxante
e o intestino funcionar todos os dias
do que tomar grandes quantidades
de cinco em cinco dias», explica o
médico.

O importante é evitar que o
intestino se habitue a não funcionar. Além disso, existem vários tipos de laxantes,
adequados a variadas situações
de obstipação. «Consoante o paciente,
o médico indica o mais acertado. Os
granulados, por exemplo, são uma boa
escolha, pois a pessoa pode ir gerindo
a quantidade de que necessita», sublinha.

Fim à
obstipação

Eis algumas
estratégias de
prevenção:

1. Aumente a sua actividade
física. Mesmo que não
pratique um desporto
ou frequente o ginásio,
caminhe o mais possível.

2.
Se sentir a mais pequena
vontade de ir à casa de
banho, não adie. Aproveite
os sinais do seu intestino
ou arrisca-se a perder a
oportunidade.

3.
Beba muitos líquidos. Sempre mais do que um
litro de água por dia. Em
alturas de muito calor, entre
um litro e meio e dois litros.

4.
Ponha saladas e legumes
na mesa. Os brócolos, as
couves e as alcachofras são
excelentes fontes de fibra.

5.
Ingira citrinos
(laranjas e kiwis) e
fruta com casca. Estes alimentos revelar-se-ão um bom aliado contra a obstipação!

6. Corte nos hidratos de carbono. O arroz
e as batatas são bastante obstipantes,
assim como o pão (quanto mais branco
pior). Quanto às massas, retire-as do lume
quando estiverem al dente, porque quanto mais
cozidas estiverem, mais obstipantes são.

7.
Reduza nos
derivados de
leite. O iogurte, o queijo, o requeijão e as natas estão longe de facilitar a actividade intestinal do seu organismo.

Sabia que...
Em picos de calor, pessoas
que sempre tiveram
intestinos regulares
queixam-se de obstipação.
Isto deve-se ao facto de o
organismo gastar mais
líquidos, que acabam por
não chegar ao intestino.

Texto: Alexandra Pereira com Leopoldo Matos (gastroenterologista)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.