Provavelmente já ouviu histórias de mulheres que engravidam e supostamente estavam a tomar a pílula ou até outros exemplos, como alergias, mas vai-se a ver e iniciaram a toma sem qualquer recomendação médica. Os erros são alguns e mais comuns do que se pensa, pelo que se devem evitar para não se correrem determinados riscos.

Tomar sem prescrição médica
A pílula tem diversas formulações e características, para além de ter efeitos colaterais e riscos, pelo que o acompanhamento e a recomendação de um profissional é essencial. Cada mulher reage de determinada maneira e uma dosagem hormonal incorreta pode alterar o ciclo menstrual, para além de outros problemas de saúde.

Não respeitar o horário
Hoje em dia as pílulas têm uma dosagem muito mais baixa e se a toma não for regrada, o nível hormonal decai e o funcionamento fica irregular. Esquecimentos toda a gente tem, mas não faça disso uma rotina e nos dias em que se esquece use o preservativo.

Toma contínua
A menstruação pode arruinar aquelas férias tão ansiadas e merecidas e é certo que, no geral, todas as pílulas podem ser tomadas de forma contínua. Ainda assim, há pílulas mais antigas cuja dosagem hormonal é maior, logo o estímulo no útero também será maior. Isto pode proporcionar uma menstruação mais forte quando for altura ou irregular. Mais uma vez... aconselhe-se com o seu ginecologista.

Vomitar depois da toma
Vomitar ou ter uma diarreia cerca de duas horas após ter tomado a pílula compromete o efeito desta, pelo que é habitual que se tome outro comprimido. No entanto, fale com o seu médico e use o preservativo.

Iniciar num dia qualquer
Uma das funções da pílula é ser contracetiva, logo vai impedir de ovular. Se começar a tomar no dia errado, pode ovular depois e acabar por engravidar. Para não comprometer a eficácia ouça atentamente o seu médico e tome na altura devida.

Prazo de validade
Há pessoas que não se preocupam muito caso só tenha passado um pouco do prazo, mas acha que vale a pena o risco? O fabricante não garante a eficácia e você escusa de arriscar.

Preservativo
Nunca se esqueça dele... a pílula serve de contracetivo (quando bem tomada), ou seja, impede uma gravidez, mas não serve para doenças sexualmente transmissíveis.

Pílula do dia seguinte
Quando a toma é bem realizada, não é suposto ter preocupações e ter de optar pela do dia seguinte. Não obstante, tomar as duas significa uma 'injeção' hormonal grande que pode provocar danos colaterais muito graves. Faça do preservativo um aliado e não terá chatices.

Medicação extra
Existem antibióticos e alguns antidepressivos, por exemplo, que afetam a eficácia da pílula, uma vez que podem aumentar a metabolização do anticoncecional e isso faz com que diminua o efeito contracetivo. É importante que informe o seu médico e dissipe qualquer dúvida relativamente ao assunto.

Guardar

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.