Fumar faz (muito) mal à saúde mas parar de repente também não é bom. "Quem fuma é um dependente químico da nicotina, que é uma substância que atua no cérebro, estimulando de forma desordenada a liberação de substâncias responsáveis pela sensação de bem-estar e prazer. Ao deixar de fumar, haverá uma menor concentração dessas substâncias no organismo e essa mudança pode provocar uma síndrome de abstinência", alerta um artigo do Cardio 365º, um projeto informativo multiplataforma.

"As pessoas viciadas no tabaco, não devem deixar de fumar de repente. Deixar de fumar de repente faz mal", garantem os profissionais de saúde que colaboram com esta iniciativa, que pretende esclarecer e auxiliar os portugueses a lidar melhor com as doenças cerebro-cardiovasculares, uma das principais causas de morte em território nacional. "Deixar de fumar de repente pode levar a diversos sintomas, nomeadamente ansiedade, irritação e dificuldade de concentração", adverte o Cardio 365º.

Cancro do pulmão faz uma nova vítima no mundo a cada 20 segundos. "É urgente sensibilizar as pessoas"
Cancro do pulmão faz uma nova vítima no mundo a cada 20 segundos. "É urgente sensibilizar as pessoas"
Ver artigo

"Estes sintomas variam de pessoa para pessoa, conforme o seu nível de dependência. Apesar disso, por norma, são passageiros e tendem a desaparecer após algumas semanas. Além dos sintomas referidos anteriormente, deixar de fumar de repente pode provocar dor de cabeça, dificuldade de concentração e/ou alterações do sono. Este conjunto de sintomas pode ainda incluir aumento do apetite, tristeza e até depressão, sendo chamado de síndrome de abstinência da nicotina", esclarece. "Se está a pensar deixar de fumar, é muito importante que recorra a uma consulta de cessação tabágica. Nesta consulta, será avaliado por uma equipa disciplinar", informa ainda.

"Não deve deixar de fumar de repente. Deve ser acompanhado para que o processo de deixar de fumar seja algo gradual e com metas a atingir em períodos bem definidos. Nessa consulta, para além da caracterização da história tabágica, são utilizados testes de dependência, motivação, escalas de depressão e ansiedade", explica o Cardio 365º. "Deixar de fumar de repente não é indicado. Mas, ainda pior do que deixar de fumar de repente, é continuar a fumar", ressalva, no entanto. As consequências são muitas e más.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.