Existem cerca de 700 espécies de bactérias no interior da nossa boca. Muitas delas estão na origem de várias doenças periodontais que uma má higiene oral pode agravar. Essas não são, no entanto, a única ameaça. Um estudo científico internacional publicado na revista científica da Academia Americana de Neurologia no verão de 2020 sugere mesmo que um mau cuidado das gengivas pode afetar a saúde mental, levando ao desenvolvimento de demência vascular e até ao agravamento do risco de alzheimer.

Os perigos para a saúde não se ficam por aqui. Uma boa higiene oral também previne problemas cardiovasculares. Lavar os dentes com frequência está associado a um risco menor de fibrilação auricular e de insuficiência cardíaca. A tese é defendida por um estudo científico de origem asiática, divulgado pela publicação especializada European Journal of Preventive Cardiology. A culpa é das bactérias bucais. 3% dos voluntários com má higiene oral desenvolveram fibrilação auricular e mais de 5% insuficiência cardíaca.

Há uns anos, a Sociedade Espanhola de Periodontia (SEPA) também veio a público, à semelhança de outras organizações, chamar a atenção para o facto de, além de poder conduzir à perda de dentes, uma deficiente saúde das gengivas pode ser também um fator de risco em metade dos partos prematuros, como sugerem algumas das investigações científicas que foram levadas a cabo nas últimas décadas em vários países do mundo. É, por isso, preciso estar atento aos sinais de alerta da doença periodontal.

Os mais comuns são o sangramento e/ou endurecimento das gengivas, o mau hálito, a hipersensibilidade dentária ao frio e a movimentação, separação ou perda de dentes. Beber leite, rico em cálcio, reduz os níveis de acidez da boca. A ingestão regular de iogurtes e de alimentos probióticos também combate o mau hálito e as doenças das gengivas, além de reduzir a desmineralização do esmalte dos dentes, como sugere outro estudo. É, por isso, fundamental cuidar das suas gengivas através dos hábitos de higiene.

Duas vezes por dia

- Escove os seus dentes e as suas gengivas com um dentífrico adequado sem pressionar demasiado para não sangrarem.

- Use fio dental depois das refeições antes da escovagem.

- Bocheche com elixir no final da escovagem.

A cada três meses

- Renove a sua escova de dentes.

A cada 12 meses

- Consulte o seu dentista para realizar uma limpeza dentária e uma revisão das suas gengivas, pelo menos, uma vez por ano. Algumas pessoas, contudo, têm necessidade de consultar estes profissionais de saúde especializados com maior frequência, duas vezes por ano, devido às características da sua dentição, devido a problemas de saúde oral ou ainda devido a maus hábitos de higiene oral.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.