Durante a corrida, são geradas forças reativas provenientes do solo, três a cinco vezes superiores ao peso do corpo, que contribuem para a ocorrência de lesões. Para muitas pessoas, este ainda é o tipo de treino que fazem para tentar perder massa gorda. No entanto, as consequências de correr sem estar preparado podem ser bastante prejudiciais para a sua saúde. Se os seus músculos não estiverem preparados para o impacto da corrida, o melhor a fazer é evitar este tipo de treino ou preparar-se atempadamente para o realizar.

As lesões mais comuns verificam-se ao nível do ortopédico. A maioria dos casos ocorre ao nível dos membros inferiores, essencialmente nos joelhos, havendo descrição de dor na região anterior desta articulação. A dor na região lateral externa do joelho, habitualmente designada como síndrome da banda ílio-tibial, é também frequente em praticantes de corrida. Ao nível do tornozelo/pé, há algumas lesões características deste tipo de treino.

As tendinites aquilianas (tendão de Aquiles) são causadas pela repetição sistemática e rápida na corrida, sendo que a pressão exercida sobre o tendão é maior que a resistência do próprio tendão.

Outra lesão frequente é a fascite plantar, que se constitui como uma inflamação da fáscia plantar (região da planta do pé). A fáscia planta serve como amortecedor do impacto durante atividades exigentes, como a corrida. Como esta lesão é originada por esforços repetitivos, os atletas devem procurar pisos regulares para praticar o seu desporto.

Fraturas de fadiga, nomeadamente do terço distal da tíbia, são por vezes verificadas neste tipo de desportistas. A pronação excessiva do pé pode aumentar o risco deste tipo de lesão.

Os tipos de lesões

Atletas que iniciam mais precocemente esta atividade e aos quais é exigido um elevado nível de rendimento, existe uma maior incidência de lesões ortopédicas, devido ao impacto que se verifica ao nível de um osso em fase de crescimento, promovendo lesões como a doença de Osgood-Schlatter e a doença de Sever. Os atletas mais idosos, por seu lado, estão mais sujeitos a lesões degenerativas articulares e lesões tendinosas.

Frequentemente menosprezados por falha de metodologia de treino, há vários aspectos a considerar e que são imprescindíveis na prevenção de lesões para quem pratica esta modalidade desportiva.

O programa de treino deve ser gradual e condizente com a preparação física de cada pessoa. No tecido muscular e tendinoso, a imobilidade e reduzida atividade física, determina genericamente diminuição de força, atrofia muscular, retracção muscular e tendinosa com perda de flexibilidade.

Existem vários estudos que comprovam inequivocamente a importância do treino da força no rendimento de corredores, sobretudo para garantir um estilo de corrida estável e permanente durante esforços intensos. O treino de força excêntrico é o que mais se aproxima à função do músculo durante a corrida. Neste modo, um dos fatores que mais promove a manifestação de lesões, está diretamente relacionado com a falta de reforço muscular adaptado para os praticantes de corrida. Paralelamente ao reforço muscular dos membros inferiores, a região abdominal e lombar deve ser também treinada com o objetivo de melhorar a postura, respiração e técnica de corrida.

O calçado desportivo é outra componente importante para este tipo de treino. Escolher o tipo de calçado para corrida baseado no tipo do pé, é o passo inicial para potencializar a biomecânica do corredor e deve possuir combinações específicas de suporte e estabilidade.

A alimentação é também uma parte chave do treino. Uma alimentação incorreta, com uma dieta rica em gordura e açúcar, dificulta as melhorias propostas para o treino e aumenta os riscos de lesão.

Por vezes não é possível prevenir todo o tipo de lesões, como as de origem traumática. Distensões, entorses ou contusões pós-traumáticas são algumas das lesões desportivas mais frequentes sendo acompanhadas de dor e inflamação.

O seu tratamento deverá depender sempre de aconselhamento especializado tendo como base a severidade da lesão,a localização e a intensidade da dor.

Para além do repouso e do uso de gelo, a aplicação de produtos com ação anti-inflamatória e analgésica é recomendada para aliviar os sintomático e para acelerar a recuperação.

Existe um grande número de medicamentos de aplicação local que podem apresentar-se sob a forma de creme, pomada, spray ou emplastro. A escolha dependerá da preferência e do conforto do doente. Os emplastro apresentam uma comodidade na aplicação relativamente às outras formas pois exercem a sua ação enquanto estão colocados, mantendo o efeito durante mais tempo.

Devem ser assegurados conselhos e indicações cientificamente credíveis à sociedade em questões de saúde, de forma a estabelecer e manter padrões de competência por parte do profissional que as faz. A prevenção de lesões é uma das considerações mais importantes a ter na indicação de exercício para corredores. Uma lesão pode ser uma das principais razões para a interrupção do exercício fisico. A motivação e preparação para efetuar as mudanças necessárias ao treino, são de extrema importância para que o exercício físico seja realizado de forma segura.

Por Sérgio Nuno, Fisioterapeuta e Coordenador da Fisioterapia da Clínica São João de Deus

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.