Os polifenois são as substâncias antioxidantes que mais abundam na alimentação. O seu consumo é, em média, dez vezes superior à ingestão diária de vitamina C e 100 vezes maior que o consumo de vitamina E e carotenoides.

Desempenham um papel chave na prevenção das doenças cardiovasculares, na atividade anti-inflamatória e na prevenção da obesidade e da diabetes.

Têm, também, benefícios no combate de vários tipos de cancro e de doenças neurodegenerativas. São essencialmente provenientes de frutas e bebidas derivadas de plantas, tais como sumos, chá, café ou vinho tinto.

As verduras, os cereais, o chocolate e as leguminosas secas também contribuem para a ingestão total de polifenóis. Um terço das substâncias presentes na alimentação são ácidos fenólicos e o resto flavonoides.

Pedro Lôbo do Vale refere que «os polifenois com ação antioxidante são bioflavonoides, como a quercetina, dos quais são boas fontes o chá verde, o cardo-mariano, o ginkgo biloba, a casca do pinheiro e as bagas azuis escuras ou vermelhas, por exemplo».

Quercetina

É um potente flavonoide que tem efeitos benéficos na proteção cardiovascular e promove uma ação anticancerígena, antiviral e anti-inflamatória. Previne igualmente úlceras, alergias e cataratas. Em associação à vitamina C, prolonga a sua atividade antioxidante. Esta substância está presente em maçãs, cebolas, chá verde e chá preto, vinho tinto e hortaliças de folha verde.

Resveratrol

«É uma das mais ricas fontes de antioxidantes», refere o médico Pedro Lôbo do Vale.

Ajuda a inibir a proliferação tumoral em alguns tipos de cancro, atua como protetor frente a doenças cardiovasculares e prolonga a vida celular, o que se reflete positivamente na regeneração dos tecidos, dos órgãos e da pele.

Está presente em algumas plantas e alguns vinhos tintos

Encontra esta substância em bagas azuis escuras ou vermelhas como arandos vermelhos, mirtilos, groselhas, amoras e, principalmente, uvas pretas. É sintetizada na casca da uva e daí passa para o vinho.

Procianidina

Este flavonoide atua como protetor contra o cancro, cardiopatias, e Acidente Vascular Cerebral (AVC). Está presente em cacau, vinho tinto, arando vermelho e maçãs vermelhas.

Outros flavonoides

Substâncias como os antocianinas, as flavonas, os flavonoides e as flavononas estão presentes na salsa (seca), no alecrim, nas amoras, nas ameixas negras (com pele), nas laranjas, nos morangos, nas uvas pretas, na cebola (crua), nas amêndoas, nas ervilhas, nas maçãs (com pele), nas bananas, nos espinafres, nos espargos, nos brócolos, no tomate, na cereja, nos orégãos, no feijão verde, no mel e nas pêras.

Os polifenois têm um forte poder antioxidante, mas não são os únicos. As vitaminas e os minerais são outros nutrientes que também podem ajudá-lo
a combater o processo de oxidação. Este é um processo natural do
organismo que acompanha o envelhecimento. No entanto, pode ser
controlado com a alimentação certa. Para ficar a saber porque oxidamos,
clique aqui.

Texto: Ana Catarina Alberto com Pedro Lôbo do Vale (médico de clínica geral, docente no mestrado de Nutrição na Faculdade de Medicina de Lisboa)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.