Sabia que nem todas as gorduras fazem mal? Com conta, peso e medida, os óleos de origem vegetal aumentam as suas defesas naturais e promovem a boa saúde do seu coração. Esqueça as gorduras saturadas, inimigas da saúde, e passe a integrar os óleos vegetais na sua alimentação!

Manteiga, nata, queijo gordo e carne de vaca acentuam o risco de colesterol alto e de doença cardíaca. A opção mais saudável passa pelo consumo de gordura de origem vegetal. A sua riqueza em ácidos gordos essenciais (ómega 3 e 6) desencadeia uma acção anti-inflamatória que protege as artérias da aterosclerose, ao mesmo tempo que favorece as funções cognitivas do cérebro.

As gorduras vegetais são também excelentes fontes de vitamina E, poderoso antioxidante, que combate a degradação e o envelhecimento do organismo. A Organização Mundial de Saúde recomenda que 20-30% das nossas calorias diárias tenham origem nas gorduras vegetais. Por isso, não corte neste nutriente! Siga alguns “conselhos” para melhorar a qualidade nutricional da sua alimentação.

1 – Na hora de temperar a sua salada, não se esqueça dos óleos vegetais. As ervas aromáticas são uma alternativa ao sal e não aumentam a tensão arterial.

2 – Quando escolher a ementa, prefira os peixes gordos, como a enguia, sardinha, salmão, cavala, fontes de ácidos gordos ómega 3 que o seu organismo não consegue produzir. Inclua-os no mínimo duas vezes por semana.

3 – Tire partido dos assados, estufados e guisados com legumes. A mais-valia da gordura vegetal é fazer refogados mais saudáveis. Pode misturar azeite com óleo, assim evita mascarar o sabor dos legumes.

4 – Quando fritar alimentos, aqueça o óleo para cozinhar até aos 180º. Sabia que as altas temperaturas alteram o valor nutricional da gordura e as baixas penetram em demasia nos cozinhados? Frite pequenas quantidades de cada vez!

5 - Abusar da reutilização do óleo vegetal está fora de questão. Se fritar batatas pode usá-lo entre 3-5 vezes, no máximo, e, para o peixe, bem menos. Esteja atenta à cor e, assim que começar a ficar escura, troque o óleo imediatamente.

6 – Consuma leite meio gordo ou magro e seus derivados e prefira as carnes mais magras, sem pele nem gorduras visíveis. As aves (perú, galinha, frango ou pato) e a carne de porco (lombo ou febras) são a opção mais saudável e com menos gordura.

7 – Leia os rótulos. Verifique a descrição nutricional dos produtos e lembre-se que deve preferir as gorduras monoinsaturadas e as polinsaturadas e coloque de lado as saturadas ou as do tipo trans.

Fonte: Maria Paes Vasconcelos – Nutricionista

03 de Março de 2008

(SSD)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.