Para além de todas as suas qualidades culinárias, as ervilhas fornecem energia e juventude graças à sua riqueza em fibra, hidratos e proteínas. O grande trunfo destas pequenas leguminosas está na sua riqueza em proteínas. Como todas as sementes, as ervilhas transbordam ácidos nucleicos, umas moléculas que atuam como rejuvenescedores naturais. As nossas próprias células necessitam destes ácidos para se reparar.

Sem estes ácidos, os nossos tecidos não podem regenerar-se. As ervilhas contêm uma quantidade significativa de vitaminas do grupo B (B1, B2 e B3), imprescindíveis para libertar a energia dos alimentos. A vitamina B1 (tiamina) é responsável por alimentar o sistema nervoso central e periférico. Esta substância permite enfrentar melhor as tensões do dia a dia e manter estável o estado de ânimo.

A vitamina B2 (riboflavina) fornece energia celular e fortalece a pele, o cabelo e as mucosas, em especial a córnea, graças à sua capacidade oxigenadora. A B3 (niacina) reforça o sistema circulatório e melhora o estado de ânimo. Para além disso, as ervilhas possuem uma quantidade significativa de vitamina A, que atua protegendo a visão, fortalecendo o sistema imunitário e regulando o correto crescimento do organismo.

A proteção cardíaca que as ervilhas garantem

As ervilhas são ricas em ácido fólico de que o nosso organismo precisa para formar novas células e renovar o sangue. Para além disso, de acordo com estudos recentes realizados por cientistas credenciados, uma alimentação rica em folatos aumenta o nível de estrogénios, combatendo os efeitos adversos da menopausa. Possuem ainda fibra solúvel, que ajuda a reduzir o nível de colesterol e regula os níveis de açúcar no sangue.

Para além disso, este alimento, muito apreciado e consumido pelos portugueses, desintoxica e contribui para aliviar a prisão de ventre. De nada serviriam as proteínas das ervilhas se não possuíssem também magnésio, que permite que estes macronutrientes possam ser utilizados. Esta saudável combinação de proteínas e magnésio faz das ervilhas um alimento ideal para as crianças, adolescentes e idosos.

Graças ao seu elevado índice de ferro, as ervilhas asseguram, ainda, a chegada de oxigénio às células do organismo e protegem-nos da maioria das infeções. Ainda não está convencido? Se ainda não está, deixamos-lhe, ainda, uma outra dica saudável para aumentar o consumo desta leguminosa. Descasque as ervilhas, coloque-as em água fria e observe. As de boa qualidade vão ao fundo. As de má flutuam à superfície.

Os nutrientes presentes nas ervilhas

Conheça, de seguida, os nutrientes que encontra nas ervilhas frescas (cozidas e congeladas) e secas, de acordo com a Tabela da Composição dos Alimentos do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, em Lisboa:

Ervilhas frescas (cozidas)

Proteínas: 6,2 g
Hidratos de carbono: 7,9 g
Fibra: 4,8 g
Gorduras: 0,7 g
Calorias: 63 kcal

Ervilhas congeladas (cozidas)

Proteínas: 5,6 g
Hidratos de carbono: 7,5 g
Fibra: 7,3 g
Gorduras: 0,5 g
Calorias: 57 kcal

Ervilhas secas (cozidas)

Proteínas: 6,9 g
Hidratos de carbono: 18,1 g
Fibra: 5,1 g
Gorduras: 0,4 g
Calorias: 106 kcal

Muitas razões para ingerir (ainda) mais ervilhas

6 razões para aumentar o consumo de ervilhas

1. Um coração saudável e forte. E mais defesas contra certos tipos de cancro, como o do estômago.

2. Bom trânsito intestinal. São de grande ajuda em caso de prisão de ventre.

3. Formação de células novas. A renovação celular é notória sobretudo no tecido nervoso e conjuntivo.

4. Mais vitalidade. Os seus componentes reforçam o estado de ânimo.

5. Maior acuidade visual. Os seus nutrientes reforçam os tecidos do olho.

6. Uma pele mais firme. Bem como um cabelo mais saudável e brilhante pelo seu conhecido efeito rejuvenescedor.

Texto: Joana Martinho

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.