É um dos médicos mais famosos do país mas foi por acaso que se tornou conhecido. "Apesar de ter dedicado grande parte da minha vida profissional à medicina desportiva, foi no Centro de Saúde de São Pedro da Cova, onde também trabalhava, que descobri a minha vocação", desabafou Fernando Póvoas, em entrevista à edição impressa da Saber Viver, recordando o início do processo que lhe deu a visibilidade mediática que lhe permitiu chegar a muita gente.

"Os casos de obesidade que me batiam à porta eram muitos e muito graves e a satisfação que me dava ver homens e mulheres perderem os quilos que tinham a mais, que lhes roubavam a saúde, a boa-disposição e a autoestima, lhes arruinavam o casamento ou os impediam de conseguir emprego, era tão grande que comecei a aprofundar o assunto e a dedicar-me inteiramente a esse problema de saúde pública que temos que é a obesidade", refere o reputado médico portuense.

Foi também desta forma que Fernando Povoas, assistente de clínica geral formado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, uma das estrelas do programa "Amigos improváveis - Famosos", introduziu o tema central do seu livro "O prazer de emagrecer", campeão de vendas quando foi lançado pela editora Caderno, o mote para a entrevista que se segue. Veja também a galeria de imagens com 7 alimentos que reduzem a gordura abdominal.

Por que é que engordamos?

Existem várias causas para a acumulação de peso. No entanto, costumo dizer que o problema pode ter vários pais mas tem sempre uma mãe comum. A alimentação! Podemos ganhar peso a mais porque somos sedentários, porque o nosso sistema nervoso anda alterado e ao estarmos mais angustiados e deprimidos aumentamos as idas ao frigorífico ou porque estamos a tomar algum medicamento que nos faz engordar.

Existem fármacos que aumentam o apetite, que provocam retenção de líquidos, que promovem a obstipação e outros ainda que alteram o metabolismo. Mas depois há também aquelas pessoas que têm o chamado gene da obesidade e, portanto, como têm tendência para engordar devem ter o dobro do cuidado, especialmente, em algumas fases da vida, durante o período menstrual, a gravidez e a pré-menopausa.

Que estratégias utiliza para ajudar os seus pacientes a perder peso?

O mais importante numa consulta de obesidade é saber ouvir, perceber aquilo que a pessoa mais gosta de comer, quais os seus hábitos alimentares e corrigir alguns mitos relacionados com a alimentação. Só depois estipulo um plano alimentar adequado à idade e ao tipo de trabalho e incentivo-os a tornarem-se menos sedentários. Geralmente, é mais fácil convencer as pessoas a aderir a uma dieta do que a submeterem-se a um programa de exercício físico regular.

De que forma os sensibiliza para a prática de exercício físico?

Procuro saber qual o tipo de exercício que mais gostam e é nesse sentido que os tento encaminhar. O que é importante é que pratiquem alguma atividade física, mesmo que isso não os ajude a emagrecer. Isto porque o exercício físico tem duas vantagens, por um lado, melhora a tonicidade muscular. Por outro, tem um efeito anti-depressivo, proporcionando bem-estar físico e psíquico que ajuda muito quem pretende perder peso.

Quais os melhores exercícios para queimar calorias?

Na minha opinião a rainha das modalidades para perder peso é a caminhada em passo acelerado, durante cerca de 30 minutos por dia. Costumo igualmente aconselhar exercícios ligeiros de musculação, com pesos baixos e várias repetições, principalmente a partir dos 40 anos, altura em que ocorre uma diminuição da tonicidade muscular.

Como é que disciplina os seus pacientes para a dieta?

Não sou apologista de dietas muito restritivas por serem difíceis de cumprir e as pessoas acabarem por recuperar o peso inicialmente perdido. Costumo dizer que não existem alimentos bons nem maus. Existem, sim, alimentos que se podem comer mais vezes do que outros. Procuro que respeitem os horários das refeições. É preferível irem para a mesa com menos apetite do que esperarem até sentir fome, pois nessa altura há uma assimilação maior.

Quem tem mais força de vontade para dieta? O homem ou a mulher?

O homem é mais determinado e, de um modo geral, faz mais asneiras. Come mais e bebe mais. Basta deixar de beber e tomar um pouco mais de cuidado com a alimentação para obter resultados muito rapidamente.

É possível emagrecer com prazer?

A experiência diz-me que sim. Ao verem-se com quilos a menos, sem ter de fazer uma dieta muito restritiva e, ao poderem vestir outras roupas as pessoas, sentem muita satisfação e uma grande autoestima. Sentem-se mais humanas.

Quais os principais mitos da alimentação?

O primeiro mito é pensar que tudo o que é diet e light ajuda a emagrecer. Muitos destes produtos são açucarados de mais, outros têm gordura em excesso. Depois há uma certa tendência para pensar que os cereais integrais são sempre uma boa opção e nem sempre isso acontece.

Os alimentos integrais têm a vantagem de melhorar o trânsito intestinal e combater o colesterol, no entanto, têm praticamente as mesmas calorias do que os não integrais. Além disso, os cereais integrais existentes no mercado são, de um modo geral, muito açucarados e desaconselháveis num tratamento de emagrecimento.

Diga-nos três regras essenciais em qualquer dieta de emagrecimento.

Beber um litro e meio de água por dia, ingerir quatro a cinco refeições de sopa de legumes por semana e privilegiar o peixe, em relação à carne.

Existe algum alimento que se possa comer sem restrição?

Sem restrição só a água porque não tem calorias. As hortaliças e os legumes em geral são de baixas calorias e como ocupam muito volume no estômago têm a vantagem de serem muito saciantes.

Qual o prazo mínimo que estabelece para uma dieta?

Não estipulo prazo. Uma boa alimentação deve ser vitalícia. No entanto, o tempo que se demora a atingir um determinado objetivo depende de caso para caso. Uma perda de quatro a cinco quilos por mês é muito satisfatória.

A partir de que situação é que se justifica a toma de medicamentos para perder peso?

Em caso de obesidade, aconselho medicar de imediato.

Que tipo de medicamentos receita?

Não há uma medicação-padrão. Tudo depende das queixas de cada um. Muitas vezes, basta um anti-depressivo ou um ansiolítico para controlar apetites nocturnos e desencontrados, com tendência para os hidratos de carbono, provocados pela ansiedade. Outras vezes, é preciso tratar outros problemas, nomeadamente a retenção de líquidos e a obstipação.

É possível tratar a celulite?

A maioria dos cremes anticelulíticos penetram na pele apenas em quantidades muito reduzidas e em cerca de meio milímetro, enquanto que a celulite instalada pode ir além disso. No entanto, têm o benefício de levar a pessoa a massajar o corpo, ativando assim a circulação sanguínea. Com vista a resultados mais rápidos e eficazes pode recorrer a outros métodos, como a drenagem linfática, a endermologia ou a mesoterapia.

Que tipo de alimentos desaconselha a quem quer evitar a celulite?

As bebidas gaseificadas, os molhos, os fritos e o tabaco são péssimos para a circulação. Já a fruta, os legumes e todos os alimentos ricos em fibra favorecem a eliminação de líquidos dos tecidos, melhorando o aspecto da pele.

A sauna e o banho turco podem ajudar a perder peso?

Ambos contribuem para um relaxamento muscular e psíquico e melhoram o aspeto da pele, que é limpa através da intensa sudação. Mas, por si só, não emagrecem. Após uma sessão de qualquer uma destas atividades, é possível que se perca algum peso pelo excesso de sudação a que o corpo foi sujeito, mas que rapidamente é reposto pela ingestão de líquidos. É preciso não esquecer que perder peso não consiste em perder água, mas sim em perder gordura.

Com que frequência nos devemos pesar?

Basta uma vez de quinze em quinze dias. O peso verdadeiro é aquele que temos de manhã em jejum depois de ir à casa de banho.

O percurso do especialista

Assistente de clínica geral formado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Fernando Póvoas enveredou pela área desportiva ao serviço do Futebol Clube do Porto, Ermesinde e Freamunde. No Centro de Saúde de São Pedro da Cova, onde exercia medicina geral e familiar, começou a tratar, com sucesso, inúmeros casos de obesidade e, em 1991, abriu a sua primeira clínica da especialidade, no Porto. Em 1995, expandiu a clínica para Lisboa.

Hoje atende, juntamente com a sua equipa multidisciplinar nas áreas de nutrição, psicologia, estética e cirurgia, milhares de doentes de diferentes pontos do país. Publicou também o livro "Emagrecer com sucesso", que sucede a "Legumes sem desculpas", escrito em parceria com o chef Henrique Sá Pessoa, além de "O prazer de emagrecer", que é o culminar de vários anos de experiência. Em 2020, aceitou participar no programa "Amigos improváveis - Famosos".

Texto: Vanda Oliveira

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.