Baseada em produtos naturais e biológicos, a culinária Macrobiótica assenta numa dieta flexível que «se adapta ao clima, idade, condição de saúde e estilo de vida de cada pessoa», revela o Instituto Macrobiótico de Portugal (IMP), um dos centros mais procurados e uma referência internacional no âmbito da formação nesta área.

Esta culinária considera a qualidade energética dos alimentos, baseada nas noções de Yin-Yang (forças opostas complementares), com aplicações muito concretas ao equilibrar os sabores, as cores e os diferentes estilos culinários na confecção dos menus.

«Adaptamos a alimentação às nossas necessidades e à condição de cada um», refere Eugénia Varatojo, directora técnica dos cursos de culinária Macrobiótica no IMP, segundo a qual este tipo de alimentação pressupõe «ter no prato alimentos bem cozinhados, crocantes e frescos», de modo a manter a maioria das vitaminas, fibras e cálcio.

Apesar de grande parte dos menus ser à base de leguminosas, como o tofu, e cereais integrais e biológicos, existe também um pequeno consumo de peixe. «Temos legumes longamente estufados. Estufamos abóbora e cebola, por exemplo, de forma a ficar doce, concentrada em vitaminas e minerais», revela.

Os cursos

Estruturado em nove fins-de-semana e com uma carga horária de 108 horas, as aulas do curso de cozinha macrobiótica do IMP, maioritariamente práticas, são uma «verdadeira viagem pela cozinha tradicional portuguesa», através do cruzamento entre a culinária macrobiótica e a cozinha tradicional medicinal, sendo que os módulos mais teóricos abordam as leis da natureza e da nutrição.

Para além dos cursos anuais, o IMP dispõe ainda de cursos livres de culinária macrobiótica, com funcionamento laboral e pós-laboral. Estes cursos são estruturados em módulos de cinco aulas, onde se aprende a confeccionar «menus equilibrados, a escolher os ingredientes certos, a usar as técnicas de corte e os estilos culinários mais apropriados», refere o IMP.

«Temos também seminários e workshops realizados durante os fins-de-semana», acrescenta Eugénia Varatojo, nos quais se pretende ajudar as pessoas a aprofundarem conhecimentos e acima de tudo, a «interiorizarem algo que ajude a melhorar as suas vidas».

Não tendo um target específico, os cursos de macrobiótica são frequentados por muitos jovens «que vêm de escolas ou de universidades para fazerem trabalhos sobre alimentação. Depois temos curiosos de todas as idades», conta Eugénia Varatojo.

Marque na agenda

Junho

Workshop - Da Teoria à Prática: 19 e 20 de Junho, das 10h às 16h.
Preço: 130 €

Cursos de Culinária Macrobiótica nível II: de 15 de Junho a 29 de Junho, das 19h às 21h30
Preço: 150 € (iniciados); 170 € (avançados)

Curso Intensivo de Culinária Macrobiótica: de 21 a 25 de Junho, das 10h às 15h
Preço: 500 €

Julho

Workshop Macrobiótica: 19 de Julho e 17 de Julho, das 10h às 18h
Preço: 70 €

Contactos
Rua Anchieta, 5 - 2º Esq., Lisboa
Telefone: 213 242 290
Internet: www.e-macrobiotica.com

Texto: Cláudia Vale da Silva

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.