Para elaborar as suas refeições, necessitará de muitos mais alimentos (tomate, carne magra, leite magro…), mas estes nove que se seguem são imprescindíveis do ponto de vista nutricional e fáceis de cozinhar.

Na prática, não só o ajudam a manter-se elegante como protegem a sua saúde. Não abdique deles!

Pregado

Deve fazer parte da sua lista alimentos favoritos porque é um peixe magro e, portanto, uma fonte saudável de proteínas. Sempre que possível evite os panados. Cozinhe-o na chapa, na grelha, coza-o ao vapor ou asse-o no forno. Substitua-o por garoupa ou pescada.

Papaia

Estimula a digestão, podendo ser consumida no final de refeições mais pesadas e com mais gorduras. É utilizada para reduzir a celulite. As sementes são eficazes contra a obstipação (prisão de ventre). É imunoestimulante, podendo atuar como antiviral e anticancerígeno.

Feijão-verde

Tem muita fibra e oferece um efeito saciante, devendo ser consumido cozido ou salteado com um fio de azeite, para acompanhar peixe ou carne, ou na sopa.

Frango

Sem pele, é a carne que menos engorda (como o peru e a vitela branca) e pode cozinhar-se de muitas formas, nomeadamente cozido, estufado, assado… (mas sempre sem pele). Acompanhe com salada ou legumes. Evite os molhos.

Chá

É uma bebida pobre em calorias e em sódio, que, consumida com moderação, não acarreta problemas para a saúde. Favorece a eliminação de líquidos e toxinas. Mas cuidado com os “chás para emagrecer”. Devem ser ingeridos, no máximo, durante um ou dois meses seguidos e, se possível, intercalando com água.

Beba 1 litro de água por dia e os restantes meio litro ou um litro através de chás de ervas (sem açúcar) e frutos e sumos naturais.

Aconselha-se a não exceder esta quantidade (o chá promove a diurese e, por conseguinte, pode privar o corpo de minerais valiosos) e, após a refeição, fique-se por uma chávena (porque promove a distensão gástrica).

Espinafres

Contêm cerca de 90% de água, uma quantidade importante de caroteno (provitamina A) e de vitamina C e apenas 2% de açúcares. Por isso, são pouco energéticos: 20 kcal por cada 100 g. Quanto à fama de serem ricos em ferro, convém esclarecer: «90% do ferro que contêm não é absorvido pelo nosso organismo, pois só assimilamos 10%!»
Por outro lado, as nossas necessidades de ferro são muito limitadas e podem ser perfeitamente asseguradas por outros alimentos.

Devem ser consumidos bem frescos, pois as suas folhas fermentam muito depressa. Coza-os em água ou a vapor. A opção em esparregado deve evitar-se caso contenha natas ou molho bechamel, o que implica um aporte adicional de gordura.

Cereais

A sua fibra ajuda a formar o bolo alimentar. Em alternativa ao pão, coma todas as manhãs, ao pequeno-almoço, uma taça de flocos de aveia, flocos de milho ou cereais de arroz tufado.

Arroz integral

É uma opção muito saudável pois tem mais fibra, mais fósforo e mais potássio que a sua versão original. Prefira-o cozido e acompanhado de vegetais.

Queijo

Fornece cálcio e é benéfico para a sua flora intestinal. Consuma-o ao pequeno-almoço ou a meio da manhã ou lanche ou ceia. Prefira queijos magros ou com menor teor de gordura.

Iara Rodrigues
Directora do Departamento de Nutrição WHITE

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.