O Hospital Garcia de Orta (HGO), em Almada, está a disponibilizar, desde o início do mês, um serviço inovador de teledermatologia. O sistema, ainda em fase experimental, permite a realização de rastreios de dermatologia à distância, garantindo «uma rápida assistência dermatológica à população», informa a unidade hospitalar em comunicado. «Encontra-se em funcionamento desde o início do corrente mês e conta já com mais de 30 pareceres dermatológicos realizados através deste sistema», refere ainda o documento.

Para a implementação deste serviço, foram adquiridas quatro máquinas fotográficas digitais que foram distribuídas por quatro unidades de saúde do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Almada-Seixal, que vão possibilitar o rastreio dermatológico à população de lesões malignas da pele. «Desta forma, o médico de medicina geral e familiar, ao detetar no utente uma situação suspeita, tira algumas fotografias que envia pelo sistema eletrónico de marcação de consultas», explica fonte hospitalar.

Depois do Serviço de Dermatologia do HGO receber a informação e fazer a análise dermatológica da imagem, «serão transmitidas indicações de diagnóstico e tratamento ao médico da unidade de saúde ou o utente será encaminhado para consulta de dermatologia no hospital», pode ler-se ainda no comunicado. No Algarve, onde o sistema já entrou em funcionamento, esta técnica permitiu reduzir em 20 dias tempo de espera para consulta.

Uma forma de triagem mais rápida e eficiente

Essa redução dos períodos de espera é também a grande esperança dos profissionais da unidade hospitalar de Almada. De acordo com Elvira Bártolo, diretora do Serviço de Dermatologia do HGO, «a implementação poderá representar uma diminuição efetiva do tempo de resposta ao utente bem como uma triagem mais eficaz dos doentes, estabelecendo prioridades de forma mais correta». As vantagens não se ficam, contudo, por aqui.

«Por outro lado, poderá ainda ser evitada a deslocação de doentes sem indicação para a consulta de dermatologia e permitir que algumas situações simples sejam resolvidas nas Unidades de Saúde do ACES Almada-Seixal, através da indicação do diagnóstico e tratamento ao médico de medicina geral e familiar», acredita a especialista. A teledermatologia possibilita o envio de informação médica dermatológica entre dois ou mais pontos separados fisicamente.

A transmissão de dados é feita «utilizando tecnologia de telecomunicação e informática, visando à promoção de saúde e educação de doentes, médicos e outros profissionais de saúde», esclarece o hospital. «Sendo o dermatologista o profissional médico mais qualificado no reconhecimento dessas afeções, o manejo de dermatoses por médicos não especialistas pode representar atraso diagnóstico, uso de terapêuticas inadequadas, desenvolvimento de sequelas e aumento do custo de saúde», refere ainda o documento.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.