A ingestão de água é um factor de prevenção do desenvolvimento de pedras nos rins, alerta a Sociedade Portuguesa de Nefrologia (SPN).

Durante o Verão, o calor combinado com uma alimentação menos regrada poderá ser sinónimo de aumento das manifestações resultantes da presença de cálculos renais.

"Qualquer pessoa pode ter uma crise provocada por cálculos renais, mas alguns indivíduos têm predisposição genética para problema”, refere Fernando Nolasco, presidente da SPN.  

Os cálculos renais, ou pedras nos rins, têm maior facilidade em desenvolverem-se nos dias mais quentes, devido ao maior índice de transpiração (e perda de líquidos), fazendo com que a urina fique mais concentrada em sais minerais. "Nestas circunstâncias, é mais fácil formarem-se cálculos renais", afirma o nefrologista.

A hidratação é a principal maneira de protecção da formação de cálculos renais. Quanto mais água for ingerida, menor será a concentração de sais na urina, e menor a probabilidade de precipitação e de formação de cálculos.

Os alimentos que consumimos também têm um papel fundamental para a saúde dos rins durante o Verão. O número de pessoas que sofre com pedras nos rins é maior em países desenvolvidos, onde a alimentação é mais rica em proteínas e sal.

Pessoas de risco, por exemplo, com antecedentes pessoais ou familiares de cálculos, devem beber pelo menos 2 litros de água por dia, reduzir a ingestão de carne e peixe e alimentos ricos em oxalato, como espinafres, chocolate, chá preto, frutos secos e figos. Evitar o consumo de sal e vitamina D e manter a ingestão de lacticínios também previne a formação de cálculos renais.

09 de junho de 2011

Fonte: LPM Comunicação/SAPO

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.