O Natal é apregoado como um tempo de paz e amor, com muita boa vontade à mistura. É sinónimo de esperança, nascimento e harmonia, trazendo à tona o resquício do que de melhor tem a única espécie que se autodestrói.

O Homem é perito em arruinar a saúde em prol do prazer e a igreja é contra, por isso é que, de forma extrema, acho que Deus vê o acto de fumar como um pecado. "Deus dá a todos a vida e o fôlego" (Atos 17:24,25) pelo que, segundo a Bíblia, a vida é vista como uma dádiva de Deus e nada devemos fazer para a reduzir, que é o que acontece aos fumadores. "Ame o seu próximo como a si mesmo" (Mateus 22:39) de onde se deduz, de forma incontestável, que Deus se refere ao fumo passivo, porque quem fuma perto de terceiros não lhes demonstra amor. O tabaco e a droga não vêm referidos na Bíblia, mas esta serve para ser interpretada, pelo que podemos concluir que Deus é contra ambos. Senão vejamos: "Mantenham inteiramente os sentidos" (1 Pedro 1:13) e a droga, quando muito, deixa-os sentados sem sentidos, sem um controlo pleno das funções cognitivas. A Bíblia diz, ainda, "sejam obedientes a governos e autoridades" (Tito 3:1). Sendo a droga proibida em muitos países, temos de obedecer à lei por forma a agradarmos a Deus. Assim como o tabaco e as drogas, também a mentira não é bem vista por esta colecção de livros sagrados do Antigo e do Novo Testamento. "Não darás falso testemunho contra o teu próximo" (Êxodo 20:16) demonstra primazia pela verdade, sendo apenas esta libertadora. Deus fala sempre a verdade e nunca mente, mas se o fizer, intitula-o de milagre. É que quem faz isto com o nascimento do filho, é bem capaz de tudo. E deixa-me com a pulga atrás da orelha.

Gaspar, Baltasar e Belchior estiveram, muito provavelmente, num jantar de natal da empresa a fumar canábis

Se esmiuçarmos bem a história, conseguimos perceber que esta se contraria a ela própria. Segundo um documento apócrifo nos arquivos do Vaticano "A Revelação dos Magos", há rumores de que os Três Reis Magos não seriam nem três, nem reis, nem magos. Após esta falácia, constatamos que estariam todos sob efeitos psicotrópicos de substâncias ilícitas. Gaspar, Baltasar e Belchior estiveram, muito provavelmente, num jantar de natal da empresa a fumar canábis. De outra forma quem é que se monta num camelo a meio da noite e segue uma estrela cadente durante dias, para ver um bebé que nasceu num estábulo? Acreditem que já vi amigos a sair de festas de aniversário a meio da noite e a acordar no Algarve, com dois angolanos e a cantar o YMCA. Lembram-se de ter fumado canábis, bebido Super-Bock e a última bebida da noite ter sido uma mini da Sagres. Só se lembram de acordar ao lado dos angolanos com uma dor no ânus e, até hoje, nunca mais beberam Sagres.

A igreja evita abordar este assunto, mas eu acho de mau tom os três Reis Magos aparecerem num momento íntimo de família sem serem convidados. Para além de ninguém os conhecer, não devia estar um ambiente fácil no estábulo, porque o José ainda estava a tentar perceber como é que a Nossa Senhora, sendo virgem, tinha engravidado, tendo esta retorquido:

- Ó José, não sejas antiquado, homem! Não viste aquele caso nas notícias de uma mulher que engravidou a ver um filme porno 3D e o marido acreditou? Moderniza-te!
- Hã? O que é um filme 3D?
- Deixa lá, um dia percebes.
Nisto batem à porta e José diz:
- Não abras, que a esta hora devem ser os Jeovás.

Do lado exterior da porta Gaspar, Baltasar e Belchior aguardavam impacientemente, enquanto se interrogavam sobre a concepção de Jesus, dado que corria o rumor da virgindade de Maria. Baltasar e Belchior não sabiam que Jesus se encontrava num estábulo, pensando que seriam uns anexos remodelados ou uma habitação de turismo rural comparticipada pelo Portugal 2020. Voltaram a aproximar-se novamente da porta, quando Gaspar diz:

- Cuidado com o burro e com a vaca.
Ao que Baltasar responde:
- Não lhes chames isso. Pode ter sido um milagre.
Gaspar retorque:
- Não é isso, cavalgadura. Cuidado com o burro e com a vaca porque isto é um estábulo, tem animais e podem fugir.

Subitamente, Maria abre a porta e os Reis Magos começam a cantar os parabéns a três vozes, enquanto atiravam canela, caril e colorau. Um espectáculo muito bonito de som e cor, surpreendentemente moderno para quem apenas se havia habituado a ouvir músicas da igreja, como "Deus está aqui" ou "Pai nosso em ti cremos", com gestos.

- O que é que vocês querem? - pergunta Maria.
- Dar-vos os parabéns. Já sabemos da boa nova. - diz Gaspar.
- Vocês também já sabem? Era o que me faltava, meu Deus... - diz José.
- Não confie tanto em Deus, José. Olhe que Ele é bem capaz de ser o pai da criança. - diz Baltasar.
- Mas não se preocupe. Pai é quem cria. - diz Belchior.
- Ó José, mas estou a conhecê-lo de algum lado. O senhor é de onde? - pergunta Gaspar.
- Nazaré. - diz José.
- Já lá estivemos. Na última moca que apanhámos, seguimos outra estrela cadente e parámos aí. Tem uma praia linda. Depois do McNamara ter andado por lá, aquilo ganhou outra vida. O Belchior prefere a Figueira da Foz, gosta mais do areal. Vai dos gostos. Mas olhe que ouvi falar da pujança do canhão da Nazaré e, se o José é o pai adoptivo, isso já anda meio frouxo. - diz Baltasar.

Feitas as apresentações, os Reis Magos procederam à entrega das prendas. Percebe-se de forma inequívoca que é um erro crasso deixarem os homens irem sozinhos às compras, porque a sensibilidade masculina é directamente proporcional ao mau gosto. O que é que um homem acha imprescindível para um recém-nascido? Ouro, incenso e mirra. Podiam ter feito uma vaquinha e dado uns cremes da Mustela, fraldas, um berço, toalhitas, vacinas extra-plano ou aqueles "tira-macacos por sucção". Mas não. Preferiram dar prendas que são tão úteis a um recém-nascido como as gónadas ao José Castelo Branco.

José de Nazaré, apesar de estar há algum tempo à porta do estábulo, ao frio, a receber os convidados, apressou-se a ser educado e a agradecer as oferendas:

- Muito obrigado. É tudo muito útil. O lingote vai ser bom para ele roer quando lhe começarem a nascer os dentes. O incenso dá muito jeito porque, com tantos animais no mesmo espaço, ajuda a dar cheirinho e a tornar o odor mais aprazível. Agora... mirra? Eu não faço a mínima ideia do que seja. Com o calor que está dentro do estábulo, o frio que está cá fora e eu sem roupa interior, sei eu bem o que é que mirra.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.