Especialistas dizem que pessoas com transtornos por uso de substâncias foram muito afetadas atingidas pelas alterações no seu dia a dia causados pela crise sanitária. As autoridades têm divulgado apreensões recorde de medicamentos falsificados procedentes do México.

Dados provisórios do Centro Nacional de Estatísticas de Saúde dos Estados Unidos mostram que houve 107.622 mortes por overdose em 2021, um aumento de 15% em relação aos 93.655 óbitos em 2020. Ainda assim, o aumento de 2021 foi metade do registado no ano anterior: as mortes por overdose aumentaram 30% de 2019 para 2020.

O fentanil, um opioide sintético desenvolvido para tratar sintomas de dor crónica, foi de longe o maior culpado, responsável por 71.238 mortes. Depois dele, vêm as metanfetaminas cristais (metanfetamina), a cocaína e os opioides naturais (como heroína e morfina).

Em abril passado, o governo de Joe Biden anunciou uma estratégia nacional de controlo de drogas para enfrentar a crise por dependências não tratadas e o tráfico de drogas.

Os números da investigação de 2020 mostraram que, entre as 41,1 milhões de pessoas que precisavam de tratamento por transtornos relacionados com o consumo de substâncias, apenas 2,7 milhões (6,5%) receberam ajuda mum centro especializado no último ano.

O governo Biden está a tentar expandir o acesso a tratamentos que podem salvar vidas, como medicamentos à base de naloxona, testes reagentes de drogas e programas de fornecimento de seringas. E solicitou um aumento no orçamento para as agências antidrogas e de controlo de fronteiras para conter o fluxo de drogas ilegais no país.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.