Um grupo de 18 pacientes, diagnosticados com cancro do cólon e/ou do reto ou colorretal, um dos tumores malignos mais agressivos, teve resultados surpreendentes após a toma de um medicamento que se encontra em fase de estudo: todos ficaram em remissão completa ou curados da doença. Os resultados da investigação foram publicados no New England Journal of Medicine.

"Acho que é a primeira vez que isto acontece na história do cancro", afirmou o principal autor do estudo, Luis A. Diaz Jr., do Memorial Sloan Kettering Cancer Center, citado pelo jornal norte-americano New York Times.

Também Alan P. Venook, especialista em cancro colorretal pela Universidade da Califórnia, em São Francisco, acredita ser a primeira vez que uma investigação resulta na "cura" total dos pacientes. "É inédito", adiantou este especialista que não participou no estudo.

"Houve muitas lágrimas de alegria", disse Andrea Cercek, oncologista do Memorial Sloan Kettering Cancer Center e coautora do artigo.

Os sintomas mais comuns do cancro colorretal são:

  • Alteração dos hábitos intestinais.
  • Diarreia, obstipação ou sensação de que o intestino não esvazia completamente.
  • Sangue (vermelho vivo ou muito escuro) nas fezes.
  • Fezes menores do que o habitual.
  • Desconforto abdominal generalizado (dores de gases, inchaço, enfartamento e/ou cãibras).
  • Perda de peso inexplicada.
  • Cansaço constante.
  • Náuseas e vómitos.

Segundo dados da Liga Portuguesa Contra o Cancro, o cancro colorretal é a doença oncológica com mais incidência anual em Portugal e a segunda causa de morte por cancro no país. estimando-se que haja cerca de 10 mil casos por ano.

O que fez este estudo?

Os doentes deste estudo, patrocinado pela farmacêutica GlaxoSmithKline, não foram submetidos a tratamentos convencionais - como quimioterapia ou radioterapia - ou intervenções cirúrgicas.

Depois de seis meses a tomar, três vezes por semana, o dostarlimab, os cientistas não encontraram sinais de tumor nos exames de imagem médica, como endoscopia, ressonância magnética ou tomografia axial computarizada.

Este medicamento, que tem um custo de cerca de 10 mil euros ou 11 mil dólares por dose, torna as células tumorais detetáveis, permitindo ao sistema imunitário humana identificá-las, torná-lkas um alvo e destruí-las.

Que tumor é este?

O cancro do cólon e/ou do reto é, também, chamado cancro colorretal.

Segundo a Liga Portuguesa Contra o Cancro, o cancro colorretal é um dos tipos de cancro mais comum nos homens (tal como o cancro da pele, próstata e pulmão) e nas mulheres (tal como o cancro da pele, pulmão e mama).

Os investigadores continuam a estudar o cancro colorretal, para saberem mais sobre a doença; estão a tentar descobrir as suas causas e a explorar novos modos de o prevenir, detectar e tratar.

Veja ainda: Os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.