O homem de 29 anos estava entre os 56 italianos repatriados de Wuhan na segunda-feira e colocados em quarentena em uma instalação militar perto de Roma.

O conselho superior de saúde da Itália confirmou que o homem está infetado com o vírus 2019-nCoV. Está a ser tratado no instituto Lazzaro Spallanzani de Roma na unidade de doenças infecciosas.

Recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS)

  • Caso apresente sintomas de doença respiratória, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

Este é o terceiro caso confirmado de coronavírus em Itália. Um casal chinês, que chegou aquele país a 23 de janeiro, também está a ser tratado no hospital Spallanzani por causa da mesma doença.

O número de mortes confirmadas pelo novo coronavírus subiu esta quinta-feira para 630, com mais de 70 pessoas a morrerem em Hubei, na China, região fortemente atingida por esta epidemia. Na atualização diária do seu balanço, o Departamento de Saúde de Hubei confirmou 2.447 novos casos na província, onde o surto teve início.

Ao todo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), há 30.827 casos confirmados de coronavírus em todo o mundo, sendo que a grande maioria está na China. Dados gerais apontam para 635 mortes, 633 delas na China. As outras duas mortes ocorreram esta semana nas Filipinas e em Hong Kong.

Veja em baixo o mapa interativo com todos os casos de coronavírus confirmados

Se não conseguir ver o mapa desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, siga para este link.

A primeira pessoa a morrer por causa do novo coronavírus fora da China foi um cidadão chinês nas Filipinas, no dia 2 de fevereiro.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há outros casos de infeção confirmados em 25 países, tendo sido o último novo caso identificado na Bélgica na terça-feira.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou em 30 de janeiro uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

Veja a cronologia da expansão do vírus em fotos

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.