O Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa lança hoje um programa de acompanhamento personalizado de doentes com tumores cerebrais primários e seus familiares para aumentar a adesão dos pacientes à terapêutica e diminuir a "fragilidade emocional".

O programa "Tempo de Viver" visa o acompanhamento dos doentes desde o momento do diagnóstico até ao fim do tratamento, disponibilizando contactos para o esclarecimento de questões relacionadas com a doença ou a terapêutica.

"É um programa em que os doentes, além das consultas e do seguimento médico, têm um conjunto de enfermeiros que os contactam regularmente para saber como estão a correr os tratamentos, se têm reações aos medicamentos prescritos, estabelecendo uma relação de proximidade com o doente, mais profunda do que aquela que se estabelece na consulta médica tradicional", disse à agência Lusa o diretor do Serviço de Neurologia do IPO.

Segundo Bravo Marques, o universo de doentes com tumores cerebrais é muito mais pequeno do que, por exemplo, dos doentes com cancro da mama, representando 4,5 por cento de todos os tumores.

Os tumores cerebrais podem ser primários e secundários. Os primários têm origem no cérebro e meninges e há cerca de 1.000 casos novos por ano em Portugal.

07 de dezembro de 2011

@Lusa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.