O INEM esclareceu ontem que, entre os meses de julho e setembro, vai ter à disposição quatro helicópteros de emergência médica e, nos restantes meses do ano, serão cinco os meios aéreos disponíveis.

Segundo o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), entre 01 de julho e 30 de setembro, os quatro helicópteros ligeiros com equipas médicas vão estar localizados em Vila Real, Santa Comba Dão, Loures e Beja ou Loulé, estando estes dois locais ainda por definir.

Nos restantes nove meses do ano, o INEM terá um helicóptero Kamov em Santa Comba Dão e outro em Loulé, além de helicópteros ligeiros estacionados em Vila Real, Loures e Beja.

O INEM adianta que ficará ainda localizado em Ponto Sor, distrito de Portalegre, um outro helicóptero, sem equipa médica, mas que permita ir ao local do sinistro e, se necessário, transportar a vítima para o hospital de destino, com a equipa terrestre do INEM.

Este instituto garante que este meio aéreo no distrito de Portalegre vai melhor a capacidade de evacuação aérea rápida de uma parte significativa do Alentejo.
Além destes meios, o INEM poderá ainda utilizar qualquer outra aeronave ao serviço do Ministério da Administração Interna (MAI).

Esta reorganização do dispositivo de helicópteros de emergência médica terá início com a partilha de meios aéreos entre o Ministério da Saúde e o MAI, tendo sido aprovado, no Conselho de Ministros da semana passada, o concurso público internacional para a locação das aeronaves, sazonais e permanentes.

Com a partilha de meios aéreos, o INEM refere que vai obter uma redução de custos de dois milhões de euros, que serão aplicados, segundo o instituto, na abertura de novos meios, substituição de ambulâncias e viaturas médicas.

Este organismo avança também que vão ser colocadas duas novas ambulâncias INEM em Aguiar da Beira e Macedo de Cavaleiros, concelhos onde atualmente estão localizados dois helicópteros.

O INEM considera igualmente que a nova localização dos meios aéreos vai permitir melhorar “de forma muito significativa a cobertura de todo o território continental”, nomeadamente alguns distritos da região Centro e Alentejo, que passam a ter um meio aéreo disponível em menor tempo do que aquilo que acontece neste momento.

O INEM garante ainda que não vai haver regiões do território continental que vão deixar de estar servidas pelos meios aéreos de emergência médica pré-hospitalar.

O Instituto de Emergência Médica tem atualmente ao serviço cinco helicópteros.

Entre janeiro e maio de 2012, foram transportados 411 doentes, o que faz uma média diária de 2,7 doentes transportados.

29 de junho de 2012

@Lusa

29 de junho de 2012

@Lusa

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.