Um homem de 65 anos não resistiu à demora no atendimento, depois de lhe ter sido atribuída pulseira amarela, na triagem do Hospital de Lamego.

De acordo com o Correio da Manhã, José Ferreira, que tinha doença pulmonar e precisava de uma bomba de oxigénio, acabou por não ser visto por nenhum médico no prazo de uma hora, como está previsto para quem recebe pulseira amarela. Esteve seis horas à espera e acabou por morrer. 

As frases mais ridículas ouvidas pelos médicos
As frases mais ridículas ouvidas pelos médicos
Ver artigo

O gabinete de comunicação do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD), que gere o Hospital de Lamego, refere num comunicado que o doente teve um "agravamento do estado clínico" após ter sido triado, "tendo sido assistido no local e encaminhado para a sala de emergência".

O CHTMAD nada refere sobre as seis horas em que o doente esteve à espera de assistência, mas refere apenas que, na última segunda-feira (dia 10, quando ocorreu o caso), houve uma afluência "excecionalmente alta" às urgências do Hospital de Lamego.

O CHTMAD refere que nesse dia, entre as 08h00 e as 20h00, foram atendidos 128 doentes, sendo que 116 receberam a pulseira amarela ou a laranja na triagem.

Sobre este caso, o CHTMAD informa que será aberto um processo de averiguação.

A família acusa a unidade hospitalar de negligência médica e quer saber a causa da morte já que o utente não foi autopsiado.

À RTP, o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, referiu que deve ser apurada a verdade dos factos e eventuais responsabilidades.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.