Em comunicado, a GNR indica que a sardinha estava a ser comercializada "sem documentação que permitisse determinar a sua origem e rastreabilidade, constituindo um perigo para a saúde pública".

Desta ação resultou a elaboração de dois autos de contraordenação, um por pesca proibida e outro falta de rastreabilidade, cujas coimas podem atingir 12.500 euros.

"A sardinha apreendida, depois de submetida à verificação higiossanitária, foi entregue a várias instituições de solidariedade social", refere o comunicado.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.