Trata-se de uma doente regressada da China que foi encaminhada para o Hospital Curry Cabral, no Centro Hospitalar de Lisboa Central, e de um doente que também esteve na China e que se encontra agora no Centro Hospitalar de São João, no Porto. Ambas as unidades são hospitais de referência para estas situações.

"Os doentes ficam internados e serão realizadas colheitas de amostras biológicas para análise pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA)", indica a DGS, que remete novas explicações para um futuro comunicado.

Recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS)

  • Caso apresente sintomas de doença respiratória, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

Estes dois casos são já a quinta e sexta suspeitas de infeção por novo Coronavírus (2019-nCoV) identificadas em Portugal desde o início da epidemia.

Além destes casos suspeitos, estão 20 pessoas em isolamento profilático há uma semana no Hospital Pulido Valente, em Lisboa, devido ao novo coronavírus (2019-nCov), depois de terem sido repatriadas da China.

Na sexta-feira, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, disse que as pessoas que se mantinham no Pulido Valente estavam todas bem de saúde e sem sintomas de infeção. Devem manter-se em quarentena até 15 de fevereiro, segundo disse Miguel Matos, um dos repatriados, ao SAPO Lifestyle.

Deste grupo fazem parte 18 portugueses e duas brasileiras, que chegaram no passado dia 02 de fevereiro ao aeroporto militar de Figo Maduro, em Lisboa. Todos estiveram na cidade chinesa de Wuhan, capital da província de Hubei, epicentro do surto.

A Comissão Europeia apelou hoje a um reforço da “coordenação e cooperação” da comunidade internacional para fazer face ao novo coronavírus, considerando crucial a união de esforços para travar a sua propagação.

Bruxelas acolhe, na quinta-feira, uma reunião extraordinária de ministros da Saúde da União Europeia consagrada ao novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro em Wuhan, capital da província de Hubei (centro), durante a qual os 27 discutirão eventuais medidas de emergência suplementares a adotar e soluções para prevenir a propagação do vírus dentro do espaço comunitário.

Missão da OMS na China

A OMS enviou esta segunda-feira (10) uma missão internacional de especialistas à China para coordenar a resposta à epidemia do vírus que infetou mais de 40.000 pessoas e matou 908 no gigante asiático. "Registamos alguns casos preocupantes de propagação do #2019nCoV em pessoas sem histórico de viagens à China", escreveu Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, no Twitter.

"A deteção de um pequeno número de casos pode indicar uma transmissão mais generalizada em outros países. Em resumo, podemos estar a ver apenas a ponta do iceberg", acrescentou.

Tedros advertiu ainda que a extensão do vírus fora da China pode acelerar. "A contenção continua a ser o nosso objetivo, mas todos os países devem utilizar a janela de oportunidade criada pela estratégia de contenção para se preparar para a possível chegada do vírus", destacou.

Doença alastra dentro e fora da China

As autoridades chinesas elevaram hoje para 908 mortos e mais de 40 mil infetados o balanço do surto de pneumonia na China continental causado pelo novo coronovírus, depois de, no domingo, terem sido registadas no território continental chinês mais 97 mortes e detetados 3.000 novos casos de infeção, segundo dados da Comissão Nacional de Saúde da China.

O número total de mortes ascende a 910, contabilizando as duas registadas fora da China continental, uma nas Filipinas e outra em Hong Kong.

O balanço ultrapassa o da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS, na sigla em inglês), que entre 2002 e 2003 causou a morte a 774 pessoas em todo o mundo, a maioria das quais na China, mas a taxa de mortalidade permanece inferior.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há mais de 350 casos de contágio confirmados em 25 países.

Na Europa, o número chegou no domingo a 39, com duas novas infeções detetadas em Espanha no Reino Unido.

Vários países fecharam as fronteiras a pessoas procedentes da China e as principais companhias aéreas do mundo suspenderam os voos para o país.

O novo coronavírus surgiu na cidade de Wuhan, capital da província de Hubei, centro da China, onde milhões de pessoas estão confinadas nas suas casas para evitar a propagação da doença.

Veja o vídeo explicativo sobre a transmissão do vírus entre animais e humanos

Veja a expansão do coronavírus em imagens

Veja em baixo o mapa interativo com os casos de coronavírus confirmados até agora

Se não conseguir ver o mapa desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, siga para este link.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.