A notícia é avançada hoje pela Rádio Renascença. Vários doentes com cancro ficaram por tratar devido a atrasos no envio de resultados de análises clínicas, essenciais à definição da terapêutica a aplicar aos referidos doentes.

Os casos terão acontecido nos hospitais de Faro e de Portimão, segundo o deputado social-democrata Cristóvão Norte.

Estes são os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses
Estes são os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses
Ver artigo

"Sabemos que há cinco casos em Portimão e um número não estimado de casos em Faro. Houve mais do que uma pessoa que veio a falecer sem conhecer o resultado das análises", cita a referida rádio.

As situações aconteceram entre dezembro de 2018 e março de 2019.

Segundo Cristóvão Norte, durante o mesmo período houve 26 análises enviadas para o IPO, mas não se sabe qual o número de utentes que não obteve resposta ou obteve resposta tardia.

As análises serviriam para aplicar terapêuticas dirigidas a cada doente.

O deputado vai participar à Procuradoria-Geral da República "provas contundentes" da inação do IPO no envio de respostas, na esperança de que se faça justiça.

Os dados mais recentes sobre o cancro em Portugal referem-se a 2016 e revelam que esta doença foi a causa de morte de 27.900 doentes, mais três por cento do que no ano anterior.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.