De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa francesa, 13.407.780 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro passado, na cidade chinesa de Wuhan, dos quais pelo menos 7.264.600 agora são considerados curados.

A AFP avisa que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do total real de infeções, já que alguns países estão a testar apenas casos graves com internamento, outros usam o teste como uma prioridade para rastreamento e muitos estados pobres têm apenas capacidade limitada de rastreamento.

Desde a contagem às 19:00 TMG de terça-feira, 5.392 novas mortes e 214.211 novos casos ocorreram em todo o mundo.

Os países com mais óbitos nas últimas 24 horas são o Brasil, com 1.300 mortes, o México (836) e os Estados Unidos (787).

Os Estados Unidos, que tiveram a sua primeira morte ligada ao coronavírus no início de fevereiro, são o país mais afetado em termos de número de mortes e de casos, com 136.900 óbitos e 3.465.031 casos. Pelo menos 1.049.098 pessoas foram declaradas curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil, com 74.133 mortes e 1.926.824 casos, o Reino Unido, com 45.053 mortes (291.911 casos), o México, com 36.327 mortes (311.486 casos) e a Itália, com 34.997 mortos (243.506 casos).

Entre os países mais atingidos, a Bélgica mantém o maior número de óbitos per capita, com 84 mortes por 100.000 habitantes, seguido pelo Reino Unido (66), Espanha (61), Itália (58) e Suécia (55).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabilizou oficialmente um total de 83.611 casos (seis novos), incluindo 4.634 mortes (zero novas) e 78.693 curas.

A Europa totalizava 203.793 mortes em 2.879.566 casos, a América Latina e Caribe 149.597 mortes (3.495.775 casos), Estados Unidos e Canadá 145.740 mortes (3.573.752 casos), a Ásia 45.518 mortes (1.860.260 casos), o Médio Oriente 21.364 mortes (957.272 casos), África 13.786 mortes (629.080 casos) e a Oceânia 140 mortes (12.077 casos).

Esta avaliação foi realizada usando dados recolhidos pelos escritórios da AFP junto das autoridades nacionais competentes e informações da Organização Mundial da Saúde (OMS). A AFP alerta que devido a correções pelas autoridades ou a publicação tardia de dados, os valores de aumento de 24 horas podem não corresponder exatamente aos publicados no dia anterior.

Em Portugal, morreram 1.676 pessoas das 47.426 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.