Identificada no final de 2020, esta estirpe rapidamente se tornou dominante no país africano mais atingido pela pandemia de COVID-19.

Na quarta-feira, cientistas afirmaram que o plasma extraído de pessoas infetadas com a variante tem "boa atividade neutralizante", mesmo contra o vírus da "primeira onda" e potencialmente contra outras variantes que preocupam, como a brasileira.

O ministro da Saúde da África do Sul, Zweli Mkhize, disse numa reunião online que esta descoberta é "uma boa notícia para todos", pois representa um grande impulso para o controlo da pandemia.

"O 501Y.V2 pode produzir um alto nível de anticorpos que podem até neutralizar" o vírus, acrescentou o virologista Túlio de Oliveira.

A pandemia de COVID-19 provocou, pelo menos, 2.560.789 mortos no mundo, resultantes de mais de 115,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Portugal registou hoje 28 mortes relacionadas com a COVID-19, o valor mais baixo desde 27 de outubro, e 830 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde março de 2020, Portugal contabilizou 16.458 mortes associadas à COVID-19 e 807.456 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.