Em declarações à agência Lusa, o socialista Miguel Alves informou que "a equipa, constituída por um médico e quatro assistentes operacionais, deverá apresentar-se na instituição na terça-feira".

"Face às dificuldades que enfrenta por falta de recursos humanos, a direção do lar solicitou à Segurança Social uma Brigada de Intervenção Rápida", referiu.

O autarca garantiu que o município de Caminha, no distrito de Viana do Castelo, "vai suportar as despesas com as dormidas dos cinco elementos da Brigada de Intervenção Rápida".

"A instituição não solicitou pessoal de enfermagem. Estará bem servida nessa área", referiu.

Segundo Miguel Alves, "dos 37 utentes infetados com o novo coronavírus, dois estão internados no hospital, mas não apresentam, até agora, um quadro clínico complexo".

O autarca adiantou que "três funcionárias que tinham testado negado apresentaram hoje alguns sintomas".

"As três funcionárias ficaram em casa e vão voltar a ser testadas", acrescentou.

De acordo com os números avançados no domingo por Miguel Alves, dos 63 utentes testados, na última sexta-feira, 37 estão infetados e 26 negativos.

Do total de 36 funcionários da instituição, nove testaram positivo e 27 negativo.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.255.803 mortos em mais de 50,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.959 pessoas dos 183.420 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.