Contactada pela TSF, a Direção-geral de Saúde apenas confirma a existência de novos casos mas remete mais detalhes para um comunicado a emitir ao final da tarde deste sábado.

De acordo com informações divulgadas por vários meios de comunicação social, os casos noticiados de manhã tratam-se de duas mulheres, uma com cerca de 20 anos e a outra com cerca de 60, por contágio de um outro doente que ficou infetado depois de uma viagem ao norte de Itália e que está internado na mesma unidade de saúde, o Hospital de São João, no Porto. As mulheres estão internadas desde sexta-feira à noite e o seu estado de saúde é estável.

No período da tarde foram notificados três novos casos, também no São João. São dois homens e uma mulher também por contágio direto com um dos infetados, que também fez uma viagem ao norte de Itália para participar na Feira do Calçado, em Milão.

Neste momento, Portugal totaliza 18 infeções por COVID-19. Estes novos casos somam-se aos 13 contágios confirmados nos últimos dias.

Assim, 13 estão internados no Hospital de São João e um no Santo António, no Porto, quatro no Curry Cabral, em Lisboa. Nenhum dos casos positivos teve alta até ao momento.

Recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS)

  • Caso apresente sintomas de doença respiratória, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

De acordo com o boletim epidemológico enviado pela DGS no final da tarde de sexta-feira, havia 34 novos casos suspeitos de COVID-19 em Portugal, o que elevava para 181 o número total de suspeições em Portugal desde janeiro. Neste momento, 25 aguardam resultados de análises e há 354 pessoas sob vigilância.

Fase de contenção alargada

Portugal mantém-se em “fase de contenção alargada”, referiu ontem Marta Temido, em declarações aos jornalistas, indicando que não existe ainda um cenário de mitigação do surto, como já acontece em outros países da UE com mais casos. A ministra da Saúde apelou para uma “utilização criteriosa dos equipamentos de proteção individual”, notando que “não são todas as pessoas que precisam de máscaras”.

Em Portugal, segundo a ministra, existe uma quantidade de equipamentos que permite ao Governo estar “tranquilo”, tanto relativamente aos ‘stocks’ da reserva estratégica nacional, como a outros, em instituições como a Cruz Vermelha Portuguesa. “Mas não temos quantidades que nos permitam, nesta fase, partilhá-los” com outros países da UE, apontou.

Estes são os 11 hospitais preparados para receber casos de COVID-19 em Portugal
Estes são os 11 hospitais preparados para receber casos de COVID-19 em Portugal
Ver artigo

Falando sobre a reunião de ministros da Saúde em Bruxelas, Marta Temido apontou que do encontro saiu “a preocupação de coordenação, de articulação e, sobretudo, a ativação de mecanismos que existem na UE para compras conjuntas, para programação conjunta”. “O que a senhora comissária [da Saúde, Stella Kyriakides] nos garantiu é que, na próxima semana, estarão em marcha medidas relacionadas com essa questão dos equipamentos de proteção individual e que também está a ser feito um trabalho de acompanhamento daquilo que são as insistências nas linhas de distribuição”, apontou.

"O vírus está na Europa. Devemos adaptar agora as nossas medidas", afirmou o ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, ao chegar a Bruxelas para uma reunião de ministros da Saúde da União Europeia (UE) para debater maneiras de conter a propagação.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu que muitos países não estão a levar suficientemente a sério a epidemia de coronavírus, que mantém a sua trajetória de propagação em todo planeta. "Isto não é um exercício. Não é o momento de abandonar, não é o momento de procurar desculpas, é o momento de ir a fundo", criticou o diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Governo vai reforçar capacidade de resposta do SNS24

O Centro de Contacto SNS 24 vai reforçar a sua capacidade de resposta, quer ao nível recursos humanos, quer ao nível da melhoria de procedimentos internos, informou ontem o Governo.

Em nota enviada às redações, o Ministério da Saúde informa que "o objetivo é diminuir o tempo de espera, reencaminhando os utentes para os canais digitais do SNS 24 e da Direção Geral de Saúde (DGS), nos casos em que os contactos não são para a obtenção informação clínica sobre o novo coronavírus".

O Centro de Contacto SNS 24 vai reforçar a capacidade de resposta, quer ao nível recursos humanos, quer ao nível da melhoria de procedimentos internos, informou esta sexta-feira, o gabinete da ministra da saúde, Marta Temido.

As novas medidas "visam melhorar a qualidade de serviço no SNS 24 que funciona, nesta fase de contenção, como um centro de triagem para COVID-19".

Hospital de campanha vai ser instalado no Santa Maria

Vai ser instalado um hospital de campanha no Hospital Santa Maria, em Lisboa, para fazer a triagem a doentes suspeitos de infeção pelo COVID-19.

A estrutura provisória foi requisitada à Cruz Vermelha Portuguesa e faz parte do lote de equipamentos que a instituição já disponibilizou ao Ministério da Saúde.

"Vão ser colocadas essas infraestruturas nos hospitais que possam requerer ambiente de isolamento específico para doentes suspeitos a fim de não estarem próximos dos doentes que procuram dos doentes que procuraram as urgências habitualmente", revela Francisco George à TSF.

DGS afasta restrições em visitas a lares de idosos

A diretora-geral da Saúde afirmou esta sexta-feira que o atual estado da epidemia de COVID-19 em Portugal não justifica, para já, a restrição de visitas a lares de idosos.

“Não estão desaconselhadas visitas, não há ainda esse grau de risco”, afirmou Graça Freitas à saída de uma reunião com o Instituto da Segurança Social e os parceiros do setor social e solidário, justificando que “à data, só há casos esporádicos em Portugal, ainda não há transmissão comunitária ativa do vírus”.

Vírus continua a alastrar

O número de pessoas infetadas em todo o mundo pelo novo coronavirus aumentou para 101.988, dos quais morreram 3.491, segundo um balanço feito pela agência noticiosa France Press, com dados atualizados às 09:00 de sábado.

Citando fontes oficiais, a AFP diz que, no total, foram registadas 1.146 novas contaminações e 35 mortes desde o último balanço, realizado às 17:00 de sexta-feira.

Veja em baixo o mapa interativo com os casos de coronavírus confirmados até agora

Se não conseguir ver o mapa desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, siga para este link.

Coronavírus: como passou de animais para humanos?

Artigo atualizado às 15h09 com novos casos.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.