"Queremos encher as varandas e janelas das nossas vilas e cidades com milhares de brilhos para recordar que ali, onde estamos, este ano em casa (#Fique em Casa), todas as pessoas estão conectadas e conscientes da necessidade de cuidar da casa de todos: A Terra", é a mensagem da organização WWF (World Wide Fund for Nature), que lançou o dia 28 de março (sábado) para comemorar a Hora do Planeta, um movimento simbólico mundial.

Segundo explicou à agência espanhola EFE Miguel Valladares, da WWF, apesar de terem sido anulados os eventos previstos para a rua, devido ao isolamento das populações em casa, como medida para conter a propagação do novo coronavírus, mantém-se a ação central da Hora do Planeta: apagar as luzes das 20:30 às 21:30, porque - afirmou - a iniciativa constitui, há anos, a alma da campanha.

No entanto, nesta ocasião e seguindo as diretrizes do Governo, de permanecer em casa, é feito um apelo aos cidadãos para que estejam na varanda às 20:30 de sábado, apaguem a luz e enviem "uma mensagem de esperança" de que tudo ficará bem.

"Pedimos que lancem em código morse, das varandas e balcões, usando a lanterna do vosso telefone ou outra que tenham em casa", escreveu a WWF na sua página de Internet, para incentivar os cidadãos a participarem na iniciativa, "símbolo da união na luta contra o coronavírus e de conexão com o exterior".

"Esperamos os vossos testemunhos de esperança nesta linguagem universal do código morse", sublinha a WWF, que acredita que esta conexão servirá para demonstrar que os cidadãos continuam "ligados e conscientes da necessidade de cuidar da casa de todos: a Terra".

A suspensão das ações na rua nesta XIII edição colmata-se com outras atividades familiares destinadas a "desfrutar da natureza em casa", disse Miguel Ángel Valladares, recordando que esta, mais do que nunca, é "a hora do planeta".

"Entre todos, temos de encontrar forma de repará-lo", sublinhou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 341.000 pessoas em todo o mundo, das quais mais de 15.100 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, com Itália a ser o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 5.476 mortos em 59.138 casos. Segundo as autoridades italianas, 7.024 dos infetados já estão curados.

Em Portugal, há 23 mortes e 2.060 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Dos infetados, 201 estão internados, 47 dos quais em unidades de cuidados intensivos.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

Como lavar bem as mãos para se ver livre de vírus e outros microrganismos?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.