A ARS-Norte vai investigar o caso, revela fonte da Task Force para o Plano de Vacinação contra a COVID-19. A notícia é avançada pelo jornal Observador.

O caso de vacinação indevida no Porto ganhou amplitude mediática depois da apresentadora de televisão Maria Cerqueira Gomes ter mostrado nas redes sociais que tanto ela como a filha de 18 anos tinham sido imunizadas com doses de vacina contra a COVID-19.

A jovem terá sido inoculada depois de a Junta de Freguesia de Campanhã ter publicado no seu website que estava a decorrer nos dias 23 e 24 de julho entre as 17h00 e as 19h30 um processo de vacinação com "porta aberta", aparentemente sem limite mínimo de idade.

"Eu fui vacinada, a minha filha também… Como todos os outros que souberam e tiveram horas como nós à espera de oportunidade", justificou Maria Cerqueira Gomes numa publicação na sua página de Instagram.

Segundo o jornal Observador, fonte da Task Force para o Plano de Vacinação contra a COVID-19 confirmou a prática de atos contrários às normas de imunização no Centro de Vacinação do Cerco.

A mesma fonte revelou que havia outros casos de jovens com 18 anos inoculados naqueles dois dias no Porto.

Casa aberta só para maiores de 50 anos

Em Portugal, a modalidade "casa aberta" só estava disponível até ontem para idades superiores a 55 anos. Os maiores de 50 anos sem agendamento da vacina podem, a partir desta sexta-feira, deslocar-se ao centro de vacinação pertencente ao centro de saúde onde estejam inscritos para receber a primeira dose, anunciou hoje a ‘task force’.

“A partir de 25 de junho, a modalidade ‘casa aberta’ fica disponível para a vacinação de primeiras doses de utentes com idade igual ou superior a 50 anos”, adianta a ‘task force’ do plano de vacinação contra a covid-19.

A ‘task force’ lembra que, para serem vacinados nesta modalidade, estes utentes devem obrigatoriamente dirigir-se ao centro de vacinação do local onde estão inscritos no Centro de Saúde, dentro dos horários específicos para esta modalidade em cada ponto de vacinação, desde que não tenham sido infetados com covid-19 nos últimos seis meses.

O horário de funcionamento da “Casa Aberta” pode ser consultado em: https://covid19.min-saude.pt/casa_aberta

Segundo a ‘task force’, a modalidade “casa aberta” é mais um processo para assegurar que todas as pessoas elegíveis são chamadas ao processo de vacinação.

46% da população já tem pelo menos uma dose

Segundo o último relatório semanal da vacinação divulgado pela DGS, 2.947.718 pessoas já têm a vacinação completa e 4.688.551 foram vacinadas com a primeira dose, o que equivale a 46% da população.

Por grupos etários, 98% (659.804) dos idosos com mais de 80 anos já tomaram a primeira dose e 93% (629.221) têm agora a vacinação completa, seguindo-se a faixa dos 65 aos 79 anos, com 96% (1.543.716) vacinados com a primeira dose, percentagem que baixa para os 59% (945.894) no que se refere às duas tomas.

No grupo entre os 50 e os 64 anos, 73% (1.575.758) também já receberam a primeira dose e 43% (918.951) concluíram a vacinação.

A DGS indica ainda que 26% (861.058) das pessoas da faixa entre os 25 e 49 anos foram vacinadas com a primeira dose e 13% (420.176) estão com a vacinação completa.

A pandemia de COVID-19 provocou, pelo menos 3.893.974 vítimas em todo o mundo, resultantes de mais de 179.516.790 casos de infeção diagnosticados oficialmente, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.079 pessoas e foram confirmados 869.879 casos de infeção, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Com Lusa

Veja ainda: Estes são os 12 vírus mais letais do mundo

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.