Sobre Reguengos de Monsaraz, Marta Temido adiantou que desde que o surto no lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva (FMIVPS) foi detetado em 18 de junho, já foram registados 168 casos de infeção.

Destes, cerca de 80 eram utentes do lar e 20 eram funcionários. Os restantes casos registados são pessoas da comunidade, precisou a ministra durante a habitual conferência de imprensa sobre a pandemia da covid-19 em Portugal.

No domingo, Autoridade Municipal de Proteção Civil de Reguengos de Monsaraz informou que 21 dos utentes infetados estavam curados, juntando-se aos 10 funcionários do lar e 19 pessoas da comunidade recuperados.

Marta Temido adiantou que outro dos 10 surtos no Alentejo está relacionado com um parque de campismo em Grândola, mas não precisou os restantes.

No total, estão atualmente ativos 206 surtos de covid-19 em Portugal.

O subdiretor-geral da Saúde, Diogo Cruz, sublinhou, no entanto, que alguns destes surtos poderão não registar novos casos há mais de uma semana, explicando que as autoridades de saúde utilizam o critério de dois períodos de incubação para determinar a extinção de um surto.

“Por uma questão de precaução, determinamos que são dois períodos de incubação, o que quer dizer que vamos esperar 28 dias [desde o último caso registado] para dizer que o surto está extinto”, afirmou.

Portugal regista hoje mais duas mortes e 135 novos casos de infeção por covid-19, em relação domingo, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia até hoje registam-se 48.771 casos de infeção confirmados e 1.691 mortes.

Lisboa e Vale do Tejo, onde há mais surtos ativos, regista hoje 24.369 casos, 108 mais do que no domingo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.