Segundo o boletim epidemiológico divulgado esta terça-feira pela Direção-geral da Saúde (DGS), já morreram 160 pessoas por COVID-19 em Portugal, mais 20 do que na segunda-feira, um aumento de 14,3%.

O número de casos também aumentou mais de um milhar. Passou-se de 6.408 casos na segunda-feira para 7.443 infetados com SARS-CoV-2 esta terça-feira, um aumento de 16,1% em relação a ontem. 

Objetos que aumentam o risco de contrair COVID-19 segundo a Direção-geral da Saúde
Objetos que aumentam o risco de contrair COVID-19 segundo a Direção-geral da Saúde
Ver artigo

Há, ao todo, 43 casos recuperados, um número que se manteve intacto nos últimos seis boletins divulgados pela DGS.

Segundo o documento divulgado hoje, há 4.610 pessoas a aguardar o resultado das análises laboratoriais e 19.260 estão sob vigilância pelas autoridades de saúde.

Neste momento, pelo menos 627 (mais 56 que ontem, +9,8%) pessoas estão internadas por causa do COVID-19, sendo que 188 (mais 24, +14,6%) estão em cuidados intensivos. A grande maioria (5.837) está a recuperar em casa.

Desde 1 de janeiro, já se registaram 52.086 casos suspeitos, sendo que 40.033 não foram confirmados.

Imagem do Boletim da Direção-geral da Saúde
Imagem do boletim da Direção-geral da Saúde

No Norte, com 4.452 infetados, há 83 mortes registadas; em Lisboa e Vale do Tejo com 1.799 infetados há 35 óbitos; no Centro há 911 infetados e 40 mortes; no Algarve 137 infeções confirmadas e duas mortes.

No Alentejo há 50 casos diagnosticadas, nos Açores 48 e Madeira 46. Nenhuma destas três regiões contabiliza óbitos até ao momento.

Quanto à mortalidade, o grupo etário mais afetado é o "+ de 80 anos" com 97 óbitos (50 homens e 47 mulheres).

O segundo grupo etário com mais óbitos é o 70-79 anos com 38 mortes, a maioria do sexo masculino (25).

Imagem do boletim da DGS
Imagem do boletim da Direção-geral da Saúde

Parte (50%) dos pacientes apresenta febre, tosse (62%), sendo que 34% registaram também dores musculares, 24% tiveram fraqueza generalizada, 19% dificuldade respiratória e 29% cefaleia. No entanto, só existe informação reportada sobre sintomas em 76% dos casos confirmados.

A faixa etária mais afetada pela infeção é a dos 40 aos 49 anos (1.383), seguida dos 50 aos 59 anos (1.346), dos 30 aos 39 anos (1.115) e dos 60 aos 69 anos (1.028).

COVID-19: Pessoas infetadas devem evitar contacto direto com animais de companhia, alerta Ordem dos Veterinários
COVID-19: Pessoas infetadas devem evitar contacto direto com animais de companhia, alerta Ordem dos Veterinários
Ver artigo

Há ainda 94 casos de crianças com idades até aos nove anos, 184 de jovens com idades entre os 10 e os 19 anos e 755 com idades entre os 20 e os 29 anos.

Os dados indicam também que há 758 casos de pessoas com idades entre os 70 e os 79 anos e 780 com mais de 80 anos.

Em relação aos casos por concelho, as informações hoje reveladas diferem em relação aos números de ontem, isto depois de a DGS admitir duplicação na contagem do número de casos. Na tabela hoje disponibilidade, no top 3 dos concelhos mais afetados surgem Lisboa (505 casos), Porto (462 casos) e Vila Nova de Gaia (338 casos).

A informação apresentada refere-se ao total de notificações clínicas no sistema SINAVE, correspondente a 78% dos casos confirmados.

Imagem do boletim da Direção-geral da Saúde
Imagem do boletim da Direção-geral da Saúde

Há ainda centenas de casos importados, sendo que a maioria tem origem em Espanha (134), França (98) e Reino Unido (49).

Boletim da Direção-geral da Saúde
Imagem do boletim da Direção-geral da Saúde

Os números divulgados no boletim de hoje da DGS dizem respeito a dados reportados até às 00h00 desta terça-feira.

Mapa mundial interativo com casos confirmados e mortes

Se não conseguir ver o mapa desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, siga para este link.

Recomendações da DGS

A DGS acompanha a situação da expansão do novo coronavírus e recomenda:

  • Em Portugal, caso apresente sintomas de doença respiratória e tenha viajado de uma área afetada pelo novo coronavírus, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Evitar o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos;
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

Portugal, onde o primeiro caso foi confirmado a 02 de março e que está em estado de emergência até quinta-feira, entrou já na terceira e mais grave fase de resposta à doença (Fase de Mitigação), ativada quando há transmissão local, em ambiente fechado, e/ou transmissão comunitária.

Mais de 36 mil mortos em todo o mundo

A pandemia do novo coronavírus matou pelo menos 36.674 pessoas em todo o mundo desde seu surgimento em dezembro na China, de acordo com um balanço da agência a AFP divulgado ontem a partir de fontes oficiais dos países. De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa francesa, mais de 757.940 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 184 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro passado, na China.

A AFP alerta, contudo, que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do número real de infeções, com um grande número de países a testarem agora apenas os casos que requerem atendimento hospitalar.

Entre esses casos, pelo menos 148.700 são hoje considerados curados. Desde a contagem feita às 19:00 de domingo, ocorreram 3.430 novas mortes e 60.195 novos casos em todo o mundo.

Os países com mais mortes nas últimas 24 horas foram Itália, Espanha e Estados Unidos. A Itália, que registou sua primeira morte ligada ao coronavírus no final de fevereiro passado, tem atualmente 11.591 mortes, para 101.739 casos, tendo 812 óbitos e 4.050 novos casos sido anunciados hoje, numa altura em que 14.620 pessoas são consideradas curadas pelas autoridades italianas.

Depois da Itália, os países mais afetados são a Espanha, com 8.189 mortes, para 94.417 casos, a China continental, com 3.305 mortes (81.518 casos), a França, com 3.024 mortes (44.550 casos) e os Estados Unidos, com 2.828 mortes (153.246 casos).

Em número de casos, os Estados Unidos são o país mais afetado, com 153.246 contaminações listadas oficialmente, incluindo 2.828 mortes e 5.545 curas.

Desde domingo, às 19:00, Angola anunciou as primeiras mortes relacionadas com a doença covid-19, enquanto o Botsuana anunciou o diagnóstico dos primeiros casos.

A Europa totalizava às 19:00 de hoje 26.543 mortes, para 413.832 casos, a Ásia 3.837 mortes (106.891 casos), os Estados Unidos e Canadá 2.898 mortes (160.532 casos), no Médio Oriente 2.856 mortes (51.377 casos), a América Latina e Caribe 357 mortes (15.334 casos), África 163 mortes (5.113 casos) e a Oceânia 20 mortes (4.865 casos).

Este relatório foi realizado usando dados recolhidos pelos escritórios da AFP junto das autoridades nacionais competentes e informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Como é que o sabão destrói o vírus? Dúvidas e perguntas frequentes sobre a lavagem das mãos

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.