A medida foi acionada pelo governo de Pequim depois do novo teste nuclear realizado por Pyongyang, anunciou o ministério chinês do Meio Ambiente.

As autoridades chinesas acionaram às 03H46 GMT (00H46 de brasília), pouco depois do teste, o "plano de emergência" para realizar "medidas de controlo de radiação", de acordo com um breve comunicado do ministério.

Dependendo do tipo de radioatividade a que a pessoa foi exposta, esta pode causar queimaduras, cancro, hemorragias, problemas digestivos, infeções ou doenças autoimunes.

A Coreia do Norte anunciou no domingo ter testado, com sucesso, uma bomba de hidrogénio desenvolvida para ser instalada num míssil balístico intercontinental. O anúncio do "total sucesso" do teste de uma bomba de hidrogénio, conhecida como "bomba H", foi feito pela pivô da televisão estatal norte-coreana, horas depois de Seul e Tóquio terem detetado uma invulgar atividade sísmica na Coreia do Norte.

Segundo a KCTV, o ensaio nuclear, o sexto conduzido pelo regime de Pyongyang, foi ordenado pelo líder norte-coreano, Kim Jong-un.

Míssil que sobrevoou Japão

A Coreia do Norte lançou um míssil que sobrevoou território japonês, segundo o governo nipónico.

O projétil foi disparado de Pyongyang na madrugada de terça-feira, cerca das 05:57 locais (21:57 de segunda-feira, em Lisboa). O sistema de alerta do governo nipónico aconselhou as pessoas do norte do Japão a tomar precauções.

Veja ainda: Portugueses têm pouco iodo. Mas porque precisamos deste oligoelemento?

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.