O responsável pelo Grupo Porto Bay Hotels & Resorts, António Trindade, defende que a população deve assumir uma postura de cidadania juntamente com as autoridades regionais e locais na luta contra o mosquito transmissor do dengue.

António Trindade, que preside ao Grupo Porto Bay Hotels & Resorts, detentor de dez hotéis em Portugal e no Brasil, reagia desta forma ao recente cancelamento de marcações para a Madeira de turistas provenientes do mercado alemão por causa do problema da febre do dengue.

"Houve realmente cancelamentos do mercado alemão, mas na última semana esses cancelamentos foram já, no entanto, drasticamente reduzidos", disse à agência Lusa.

O hoteleiro lembra que o mercado alemão é "muito rigoroso na informação" e que "os operadores detalham as informações que passam para os seus clientes por força da legislação que têm".

"Daí os cancelamentos registados", disse, ressalvando, contudo, que na última semana diminuíram substancialmente e que, "felizmente, a situação está mais contida".

"Não podemos quantificar, isso seria fazer especulação, mas sabemos que houve uma retração", indicou.

"O que importa agora é dar sinal do que se está a fazer na Madeira no combate ao mosquito, olhar seriamente para o problema e empreender um fortíssimo combate às larvas e aos ovos no período de inverno para se preparar bem a próxima primavera e verão", defendeu.

António Trindade alerta que o Aedes aegypti é um mosquito doméstico e que isso exige "uma mobilização de todos e de cada um no seu combate, na sua erradicação, não proporcionando condições para a sua reprodução".

"Há que ter uma consciência de cidadania e todos - cidadãos, entidades oficiais, municipais e locais - devem dar o seu contributo na eliminação deste problema", observou.

O presidente da Mesa da Secção de Hotelaria da Associação Comercial e Industrial do Funchal, Manuel Duarte, reconheceu também ter havido alguns cancelamentos de turistas devido ao dengue, mas disse desconhecer a sua expressão numérica, apesar de admitir ter "alguma dinâmica" no setor.

"Não sei quantificar, mas há preocupação", declarou.

Quase dois mil casos de febre de dengue foram notificados até 02 de dezembro na Madeira, informou quarta-feira o diretor-geral da Saúde, na atualização semanal do surto que atinge a ilha.

"Na semana 48 (de 26 de novembro a 02 de dezembro) foram notificados 102 novos casos, que representam uma variação de -54% relativamente à semana anterior", acrescentou Francisco George, salientando que "todos os casos notificados evoluíram no sentido da cura".

No mesmo comunicado, o diretor-geral da Saúde informou que "foram hospitalizados, cumulativamente, 118 doentes, dos quais dois estão internados na presente data", tendo ainda ocorrido "42 casos de febre de dengue" - dados igualmente acumulados - "notificados em cidadãos com história de estadia prévia na ilha da Madeira".

Francisco George adiantou que "não foram registados óbitos", mantendo a DGS as "recomendações e as medidas implementadas para a prevenção e controlo do surto, com o objetivo de limitar a transmissão local, bem como evitar a exportação do mosquito vetor".

Esta questão está na agenda da visita que o ministro da Saúde, Paulo Macedo, realiza esta segunda-feira à Região Autónoma da Madeira, onde observará as armadilhas de ovos, larvas e de mosquitos Aedes aegipty no Porto do Funchal, nos Jardins de Santa Luzia e no Aeroporto da Madeira e participará, em seguida, numa reunião de avaliação do trabalho desenvolvido no combate ao surto de dengue.

10 de dezembro de 2012

@Lusa

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.