O dengue constitui um sério problema de saúde pública no mundo, em especial nos países onde as condições do meio ambiente favorecem o desenvolvimento e a proliferação do mosquito transmissor da doença. Existem quatro tipos de vírus de dengue (1, 2, 3 e 4).

Como se transmite?

A infeção é transmitida através do mosquito infetado que adquire o vírus do dengue ao picar um indivíduo doente. O mosquito transmite a doença através da sua picada em outros indivíduos que, por sua vez, ficarão doentes, mantendo assim a cadeia de transmissão da doença.

O período do ano com maior probabilidade de transmissão da doença são os meses mais chuvosos de cada região.

A importância da consulta do viajante: os conselhos de uma médica
A importância da consulta do viajante: os conselhos de uma médica
Ver artigo

Onde se reproduz o mosquito?

Em qualquer recipiente usado para juntar ou armazenar água. São locais frequentes: pneus abandonados, pratos e vasos de plantas, cisternas, garrafas, latas, panelas, calhas de telhado e outros locais onde a água da chuva possa ser armazenada.

Os ovos do Aedes aegypti podem sobreviver aproximadamente um ano, mesmo que o local onde foram depositados fique seco. Se este local receber água novamente, os ovos voltam a ficar ativos e atingem a fase adulta em dois a três dias. A alta resistência dos ovos é um importante fator que dificulta a erradicação do mosquito.

Quando pica o mosquito?

O mosquito pica principalmente durante o dia (geralmente de manhã cedo e ao final da tarde).

Qual o período de incubação?

O período de incubação varia entre 3 a 15 dias (média de 5 a 6 dias).

Quais as principais manifestações da doença?

Esta doença pode apresentar um espectro que poderá ir de uma pequena infeção até um quadro grave de hemorragia e choque (com possibilidade de um desfecho fatal).

Existem duas principais formas de manifestação da doença:

1. Dengue Clássico

Surge habitualmente quando a pessoa é contaminada pela primeira vez. O quadro clínico é muito variável. Os principais sinais e sintomas são febre alta de início súbito (39º a 40º), dores de cabeça frontais, dores retro-oculares, dores musculares e articulares, fadiga, náuseas e vómitos, manchas na pele e dor abdominal generalizada.

2. Dengue Hemorrágico

Habitualmente está associado a uma segunda contaminação. Os sintomas iniciais são semelhantes aos do dengue clássico com possibilidade de evoluir rapidamente para manifestações hemorrágicas e/ou choque. Os casos típicos são caracterizados por febre alta, dores abdominais severas e contínuas, pele pálida, fria e húmida, sangramento pelo nariz, boca e/ou gengivas, manchas negras na pele, vómitos (com ou sem sangue), sede excessiva (boca seca), pulso fraco e rápido, dificuldade respiratória e perda de consciência.

Nos casos graves, o choque ocorre geralmente entre o 3.º e 7.º dia de doença, precedido por um ou mais sinais de alerta.

Cuidados com a água e os alimentos nas viagens internacionais
Cuidados com a água e os alimentos nas viagens internacionais
Ver artigo

Tratamento

Não existe tratamento específico para a doença. O tratamento depende dos sintomas apresentados pelo doente (variando desde uma reidratação oral em casa até um internamento hospitalar no caso da presença de "sinais de alarme").

O doente não deve tomar qualquer medicamento com ácido salicílico (como a aspirina) uma vez que esta substância aumenta o risco de hemorragia.

Prevenção

Atualmente as principais formas de prevenção do Dengue são as mesmas utilizadas para o Zika. As medidas de prevenção incluem:

- Evitar a picada de mosquitos;

- Eliminar locais de reprodução do mosquito;

Algumas medidas para evitar as picadas do mosquito;

- Utilizar repelentes aconselhados na consulta do viajante com aplicação frequente nas zonas expostas (no caso de utilizar protetor solar, aplicar primeiro o protetor solar e só depois o repelente);

- Não são recomendados repelentes em bebés com menos de 3 meses; não devem ser aplicados repelentes nas mãos, olhos, boca ou pele irritada ou com cortes;

- Usar roupas largas e de cor clara para diminuir a exposição corporal à picada do mosquito;

- Mediante aconselhamento, aplicar permetrina em roupas e calçado. Não aplicar permetrina diretamente na pele;

- Sempre que possível utilizar o ar condicionado a uma temperatura fresca (<20º C);

- Utilizar redes mosquiteiras nas janelas e portas. Não obstante o mosquito Aedes aegypti é mais ativo durante o dia;

- Confirmar que as redes mosquiteiras já existentes estão em boas condições.

Algumas medidas para eliminar locais de reprodução do mosquito:

Evitar a acumulação de água estagnada e ambientes propícios para a reprodução do mosquito (ex: vasos, baldes, pneus, bacias, etc.). Sempre que possível:

- Cobrir ou eliminar recipientes de água;

- Remover o lixo;

- Cobrir/selar fossas séticas;

Lembre-se: o dengue só se transmite pela picada do mosquito. Sem a larva não há mosquito... Sem mosquito não há dengue.

As explicações são da médica Gabriela Saldanha e não dispensam a Consulta do Viajante.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.