O cancro do colo do reto é uma das doenças mais predominantes na atualidade, com 1,5 milhões de casos diagnosticados por ano. É já o terceiro cancro mais prevalecente em todo o mundo.

Só em Portugal, 11 pessoas morrem todos os dias desta doença, o que o torna um dos problemas de saúde mais letal do país. Em todo o mundo, a gestão do cancro do reto está a mudar como nunca e os especialistas confrontam-se agora com "Anjos e Demónios", explica a Fundação Champalimaud em comunicado.

Estes são os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses
Estes são os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses
Ver artigo

Os "Anjos" são os avanços de ponta que oferecem oportunidades de melhoria sem precedentes. Estes incluem a cirurgia robótica, com a sua maior precisão, e a radioterapia de alta intensidade orientada por imagem, que permite a aplicação de radiação ultra alta. Os "Demónios" incluem a diversidade e desatualização de muitos protocolos que resultam numa menor eficácia no combate à doença e seu tratamento.

Nos dias 22 e 23 de fevereiro, a Fundação Champalimaud acolhe os principais especialistas mundiais no uso de técnicas e tecnologias avançadas no tratamento do cancro do reto para debaterem os “Anjos e os Demónios”.

O objetivo do encontro é encontrar um consenso sobre o futuro da terapia neste campo e, em particular, contribuir para a criação de um protocolo que evite cirurgias muito invasivas que poderiam ser evitadas.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.