Duas vezes por ano, as marcas desportivas apresentam as novas tendências de calçado. Os estilos são variados e a escolha parece difícil. Mas mais do que o design, os ténis que usa devem adaptar-se à modalidade que pratica. Para atividades com impacto é aconselhado o uso de sapatos com maior capacidade amortecedora. Se, por outro lado, há um risco de entorse opte por uma sola mais larga.

Com a ajuda de um personal trainer, identificámos as características principais de cada modelo deve reunir, em função do objetivo que pretende. Estes são os fatores a ter em conta quando adquirir umas sapatilhas em função de uma modalidade específica.

Sapatilhas para correr

O modelo certo para este tipo de atividade depende de dois fatores, nomeadamente o piso e o tipo de corrida a realizar. Segundo Duarte Galvão, personal trainer, "se correr numa pista de tartan (sintética), na modalidade 100 ou 200 metros, o calçado deve ter pregos (pitons de alumínio ou borracha) na sola, para ganhar mais tração à pista", recomenda o especialista.

"Para outras modalidades de atletismo no mesmo piso, a sola deve ser semelhante, mas de borracha", diz. "Numa corrida de lazer os pitons não são necessários", explica. Se o piso for duro, privilegie ténis com bom amortecimento, para "minimizar o choque e evitar a transmissão de demasiado impacto às articulações e coluna, que seja flexível, tenha tração e permita um bom apoio", descreve.

Os materiais respiráveis são os mais aconselhados e a existência de atacadores é opcional... O valor indicado para ténis deste tipo depende da frequência e intensidade do uso. Para uma utilização esporádica, "existem bons ténis a 50 euros, mas para um uso diário, justifica-se gastar mais dinheiro [até 200 euros]", exemplifica o personal trainer.

Sapatilhas para caminhar

Apesar do ritmo ser distinto, um dos critérios principais de escolha de calçado para caminhada é idêntico ao da corrida. Deve preferir ténis que privilegiem o amortecimento. Para esta atividade tenha especial atenção à sola que tem de "estar preparada para pisos de terra, ou seja, ser mais dura sem comprometer a flexibilidade e mais esculpida, de modo a assegurar a tração", destaca Duarte Galvão. Os sapatos têm de fornecer um bom apoio ao tornozelo.

Considerando a quantidade de vezes que sobe e desce do step durante uma aula, Duarte Galvão aconselha "a escolha de sapatos com bom amortecimento, de modo a proteger as articulações e a coluna". É fundamental que a sola tenha largura necessária para dar estabilidade lateral ao pé, pois neste tipo de por isso opte por modelos mais subidos (ténis-bota ou bota de trekking), de modo a prevenir entorses.

Prefira ainda "ténis com atacadores, já que são mais estáveis, para um piso mais irregular onde é importante apostar no apoio lateral. E, para enfrentar dias de chuva, escolha sapatos impermeáveis, por exemplo com membrana Goretex", sugere. Para percursos em solo plano e regular opte por um modelo semelhante ao de corrida de lazer. Evite modelos que não ofereçam "apoio necessário".

Recuse ainda modelos que "ao fim de algum tempo de uso deixem passar o impacto à coluna e articulações, causando mau estar ou possíveis lesões (como entorses) ou outras complicações como bolhas", alerta. Tal como na corrida, o investimento em ténis para caminhada depende da intensidade de uso a dar, variando entre os 50 euros e os 200 euros.

Sapatilhas para fazer step

Considerando a quantidade de vezes que sobe e desce do step durante uma aula, Duarte Galvão aconselha "a escolha de sapatos com bom amortecimento, de modo a proteger as articulações e a coluna". É fundamental que a sola tenha largura necessária para dar estabilidade lateral ao pé, pois neste tipo de por isso opte por modelos mais subidos (ténis-bota ou bota de trekking), de modo a prevenir entorses.

Prefira ainda "ténis com atacadores, já que são mais estáveis, para um piso mais irregular onde é importante apostar no apoio lateral. E, para enfrentar dias de chuva, escolha sapatos impermeáveis, por exemplo com membrana Goretex", sugere. Para percursos em solo plano e regular opte por um modelo semelhante ao de corrida de lazer. Privilegie os materiais respiráveis, já que nesta atividade os pés transpiram muito.

Um par de ténis com estas características é também adequado para praticar modalidades como body combat e aeróbica. Evite ténis que tenham pouca capacidade de absorção do impacto, pois "vai expôr as suas articulações a um risco adicional e sentir-se mais cansada". Para adquirir este modelo, como refere o personal trainer, "encontra boas opções entre 50 e 150 euros" no mercado.

Preserve a saúde dos seus ténis

- Tenha vários pares e vá alternando o seu uso. Assim poupa os ténis (que recuperam a forma entre os treinos) e permite que os seus pés aproveitem o melhor de cada modelo.

- Nunca lave os ténis a temperaturas elevadas. Prefira a água fria que ajuda a conservar as solas.

- Deixe-os secar e arrume-os apenas quando estiverem bem secos.

- Se sentir alterações na sola, apoio ou estabilidade, substitua os ténis. Estima-se que um par dure, em média, 150 a 200 horas de uso efetivo.

- Não corra usando calçado com sola fina ou indicado para outras modalidades como o ténis ou o futebol, uma vez que «não vai oferecer o amortecimento necessário».

Texto: Mariana Correia de Barros

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.