Embora a verdadeira gripe seja causada pelo vírus influenza, a constipação comum (por vezes designada por infeção “gripal”) pode ser causada por diferentes vírus (mais de 200 vírus identificados até à data). Todos eles, vírus da constipação e da gripe, são muito contagiosos e podem ser transmitidos através das seguintes formas: de pessoa para pessoa (quer por contacto direto quer pela respiração, inalando as gotículas que se encontram em suspensão no ar), tocando em superfícies (dinheiro, puxadores etc.) que contêm os vírus, pela própria boca ou nariz ou, simplesmente, num ambiente apinhado onde os vírus estão presentes noutras pessoas ou nas superfícies.

Sugestões para evitar as constipações ou gripe:

  • Lave as mãos com frequência, especialmente após ter contactado com outras pessoas ou superfícies que possam estar contaminadas, antes das refeições e após utilizar a sanita;
  • Evite, na medida do possível, tocar nos seus olhos, boca ou nariz. Assim, evitará a transmissão dos vírus que eventualmente transporte nas mãos;
  • Limite o contacto com pessoas que estejam constipadas ou com gripe;
  • Não fume. O fumo provoca danos nas mucosas e promove o desenvolvimento de um meio favorável à proliferação de vírus causadores de constipações. Evite também, na medida do possível, ambientes com fumo ou poluídos;
  • Tente reduzir o nível de stress. Tem sido demonstrado que o stress reduz as nossas defesas naturais contra os germes mais frequentes;
  • Pratique exercício físico moderado e durma um número de horas suficiente. Segundo estudos do Colégio Americano de Desporto e Medicina (ACSM) a actividade física moderada e contínua é fundamental para aumentar a resposta imunológica do nosso organismo e é capaz de eliminar em até dois dias os sintomas de uma constipação, já que estimula as células do sistema imunológico que combatem a infeção;

A prática de exercício físico beneficia a condição geral de saúde e a qualidade de vida. Esses benefícios constituem-se no resultado das adaptações dos sistemas respiratório, cardiovascular, endócrino, digestivo, e do próprio músculoesquelético, decorrentes de hábitos de vida que incorporam a atividade física regular.

Em que situações devemos interromper o exercício físico? Será benéfico continuar?

Gripe e Constipação não são sinónimos. A gripe é uma doença com início súbito e mais grave que a constipação comum. Ela compromete de maneira significativa o estado geral da pessoa, ao contrário da constipação que geralmente só compromete o nariz e a garganta.
O exercício físico envolve a mobilização do sistema imunológico. Para uma pessoa saudável e treinada, geralmente uma constipação não atrapalhará o desempenho no exercício, pois o seu sistema imunológico está suficientemente capaz de suprir as suas funções, que são: curar infeção respiratória e propiciar a recuperação das microlesões pós-exercício.
No caso da gripe, a atividade física não é recomendada. Neste caso, o esforço pode piorar o quadro da doença.

Resumindo:

A atividade física não é recomendada quando o doente apresenta febre alta, fraqueza, dores no peito e nas articulações.
Irritação da garganta e obstrução nasal são sintomas que não implicam necessariamente a interrupção dos treinos. Contudo, deve-se optar por exercícios físicos de menor intensidade.

Referências Bibliográficas:
Martin SA et al. Exercise and Respiratory Tract Viral Infections. Exerc Sport Sci Rev. 2009 Oct; 37(4): 157–164.
Nieman DC et al. Upper respiratory tract infection is reduced in physically fit and active adults Br J Sports Med 2010
American College of Sport Medicine: www. ACSM.org

Thordis Berger
CMO - Chief Medical Officer Holmes Place

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.