Este medo da solidão não é uma coisa nova ou uma coisa que só acontece aos mais velhos. Já na fase da adolescência, este sentimento é vivido muito intensamente pelos mais jovens, principalmente com o grupo de amigos.

O sentimento de abandono ou rejeição, por parte dos outros é, indiscutivelmente, algo que perturba. Contudo, com o avançar da idade, também tem mais responsabilidades pessoais (seja no trabalho ou com a família), menos tempo para fazer actividades de que gosta e, consequentemente, o sentimento de solidão poderá tender a crescer.

Claro que cada pessoa atribui o seu próprio significado à solidão, consoante as suas características pessoais e o ambiente que a rodeia. No entanto, também é importante perceber que todos os seres humanos sentem solidão, em algum momento da vida.

As pessoas podem estar sós e não sentirem solidão, mas também podem estar acompanhadas e sentirem solidão. Portanto, a solidão é apenas um sentimento e não um estado definitivo; ou seja, pode sentir-se sozinho e muito triste hoje, no entanto, não quer dizer que também sinta isso amanhã. Os sentimentos aparecem e cada pessoa tem a sua forma de lidar com eles. Pode deixar que eles vençam e fiquem para sempre consigo ou pode dizer-lhes que não e eles vão desaparecendo.

Mas se não consegue que eles desapareçam assim, tão facilmente, siga algumas destas dicas, para conseguir vencer a solidão. Mas nunca se esqueça que o primeiro grande passo é assumir, para si próprio, que quer mudar e que irá fazer algo por si próprio, para que se sinta mais feliz.

1) Não se isole de tudo e de todos

Se está mais triste, mais ansioso ou mais angustiado e só tem vontade de ficar sozinho, não o faça. Ou, pelo menos, não o faça frequentemente. Claro que é bom ficar sozinho durante alguns momentos, pois todos nós precisamos disso; contudo, não faça disso rotina.

2Torne-se útil

Torne-se útil para alguém ou para algo. Pode ser, por exemplo, para os seus filhos, para os seus pais ou para os seus amigos. Se, mesmo assim, achar que não é útil ou se sentir que não tem ninguém para ser útil, faça voluntariado (garanto-lhe que há muitas pessoas ou animais a precisarem da sua ajuda).

3) Sinta-se bem consigo próprio

Melhore a sua auto estima. Valorize-se, primeiro que tudo e, só aí, é que os outros o conseguem valorizar. Você tem qualidades muito superiores àquilo que imagina. Faça uma lista de todas essas qualidades e gratifique-se por ser assim.

4) Tenha hábitos saudáveis

Faça uma alimentação saudável, pratique exercício físico e faça um sono regular e descansado. Irá sentir-se logo melhor consigo próprio.

5) Obrigue-se a fazer actividades sociais

Às vezes não lhe apetece, mas depois fica logo a sentir-se melhor. Faça, pelo menos uma vez por semana, uma actividade da qual gosta. Pode, por exemplo, ir ter com os seus amigos; ir visitar um museu; ir ao cabeleireiro ou, simplesmente, ir ler um livro a uma biblioteca. Saia de casa, principalmente para fazer coisas de que gosta.

6) Pratique actividades em grupo

As pessoas que se sentem muito sozinhas têm uma tendência maior para ficarem mais sozinhas, se não contrariarem isso. Portanto, pratique actividades em grupo, nem que seja só uma vez por semana. Pode, por exemplo, ir para um ginásio; fazer aulas de zumba; fazer aulas de hidroginástica, enfim, o que mais gostar. Irá conhecer muitas pessoas e, quem sabe, fazer novos amigos. 

7) Procure velhos amigos e hábitos

Era uma pessoa cheia de amigos, há anos atrás? Mas, por circunstâncias da vida, separaram-se e nunca mais tiveram contacto? Aqui está uma boa altura para começar a falar novamente com eles. Ligue-lhes, procure por eles e combinem um café. Via ver que se sentirá logo melhor, principalmente, porque recordará momentos em que foi feliz. Além disso, procure também fazer coisas que, outrora fazia e que gostava muito. Se, por exemplo, há muitos anos ia ao cinema com os seus amigos e adorava, porque não fazê-lo agora? Sozinho ou acompanhado, depende do que preferir.

8) Viva o presente

Não olhe para o passado, com uma atitude melancólica e triste. Pode ter tido bons ou maus momentos, mas tem de seguir em frente com isso. Eles fazem parte da sua vida, mas devem estar “arrumados no seu cérebro”, pois estão sempre a vir novos momentos que tem de aproveitar. E, além disso, não pense muito no futuro. Claro que é importante estabelecer objectivos e metas reais, contudo não se massacre com isso. Viva um dia de cada vez e seja feliz, todos os dias.

Por Mafalda Leitão, Psicóloga na Clínica em Forma