É aos Hospitais Curry Cabral, em Lisboa, Hospital de Évora, e Hospital de São João, no Porto, que vai chegar o produto do trabalho de Joana Garcia, uma advogada de profissão que, em 2004, assumiu um outro caminho para a sua vida. Foi o pai, natural do Vimieiro, “terra de queijeiros”, quem lhe deu a dica: por que não aproveitar o facto de o irmão de Joana estar a vender leite de 500 ovelhas para se lançar a fazer queijo?”

Volvidos 16 anos, Joana gere a sua Queijaria Monte da Vinha onde, a par com outras sete mulheres, produz queijos amanteigados, de meia cura e de pasta dura.

Depois de no início da pandemia doar mil queijos à Associação Crescer e ao projecto “É um Restaurante”, que está a confecionar e distribuir 200 refeições para os sem-abrigo, Joana decidiu agora doar 2647 queijos de meia cura aos profissionais dos hospitais em questão.

Uma doação que parte da generosidade daqueles que também apoiaram Joana nas últimas semanas. Numa acção de divulgação para tentar escoar a produção de queijos que tinha em stock, a queijeira gerou encomendas de Norte a Sul do país. Joana Garcia vendeu mais de 11 900 queijos, em caixas de cinco. Por cada caixa vendida, atribuiu um queijo a esta causa solidária.

“Descobri que as pessoas são muito generosas”, afirma Joana. “E o melhor de tudo, foi ter conseguido salvar famílias e postos de trabalho. Dei o que tinha e recebi imenso de volta. Na verdade, tem sido uma experiência humana incrível.

Recorde-se que, em outubro do ano passado, como aqui noticiámos, a queijeira viu o seu queijo amanteigado ser considerado um dos melhores do mundo nos World Cheese Awards, em Itália.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.