As cerejas têm o seu auge de produção no fim da primavera e início do verão, entre fim de maio e julho. Em Portugal, as regiões de maior produção de cerejas são o Douro, Trás-os-Montes e a Beira Interior. Existe, inclusivamente, uma certificação específica, as cerejas de Indicação Geográfica Protegida (IGP), que reconhece a Cova da Beira e o Fundão como marcas, fixando variedades e sistemas de cultivo específicos para cada uma.

A pergunta que impera é: até quantas cerejas pode comer? É fácil perder a noção da quantidade destas “pérolas vermelhas”. A dose recomendada de cerejas são cerca de 20 unidades ou dez pares – para que não nos falte a memória de fazer das cerejas brincos bem bonitos.

A lista de benefícios associados ao consumo de cereja é bem extensa, mas destaco as cinco principais:

- Baixo valor calórico (20 cerejas têm 66 kcal), associado a óptimos níveis de fibra, desginadamente a pectina com 1,76 mgr por cada porção.

- Esta fruta tão bonita é também riquíssima em antioxidantes, fundamentais para a recuperação muscular, mas também para promover um ambiente anti-inflamatório no nosso corpo. Promove a eliminação dos radicais livres ao mesmo tempo que impede o processo de glicação e inflamação no nosso corpo.

- As cerejas são particularmente ricas em vitamina A e C – cruciais para a qualidade da nossa pele.

cerejas
créditos: Taisiia Shestopal/Unsplash

- No que diz respeito aos minerais, as cerejas proporcionam um bom aporte de potássio, magnésio e fósforo.

- As cerejas são também óptimas aliadas do sono, pela presença de melatonina. E são boas contribuintes para o humor com a presença do triptofano.

E como deve escolher as melhores cerejas? As cerejas devem estar brilhantes e sem toques. Além disso, o pedúnculo deve estar verde, fresco e bem preso ao fruto. E, as cerejas não amadurecem depois de serem colhidas, por isso, escolha sempre as mais escuras – logo mais maduras - para consumir.

Para além de comer o fruto pode aproveitar os pés das cerejas. Como? Em infusão. A infusão dos pés de cerejas é indicada para situações de obstipação, insónia, dores musculares, entre outros.

Para aproveitar a abundância de cerejas espreite duas receitas:

Areias de cereja

As Areias de cerejas podem parecer uma combinação improvável, mas resulta muito bem!

São ideais para acompanhar o chá ou café ou para um snack doce. A receita não tem glúten, o que ainda lhe dá maior interesse.

A textura destas areias desfaz-se na boca, em que o papel das cerejas é dar humidade e doçura a estes pequenos (grandes) prazeres. A canela contrasta muito bem com a cereja, ajudando ao tom mais escuro dado pelo açúcar de côco.

Vamos aproveitar as cerejas de início ao fim? Comecemos pelas areias.

Vermelhos e suculentos, conheça 5 benefícios dos morangos. E duas receitas saborosas para os saborear
créditos: Green Smiles

Pudim de chia e cerejas

O Pudim de chia e cerejas dá-nos um pequeno-almoço muito saciante e fresco para dias de calor.

É uma versão de pequeno-almoço muito fácil e pronta para consumir em casa ou em movimento. Para além de muito nutritivo, pela presença das sementes de chia, este pudim é um bom reforço para uma alimentação à prova de ansiedade. As sementes de chia são riquíssimas em ómega-3, um importante estimulante da função cerebral e do sistema nervoso em geral.

Vamos começar bem o dia?

Vermelhos e suculentos, conheça 5 benefícios dos morangos. E duas receitas saborosas para os saborear
créditos: Green Smiles

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.