Quantas vezes já ficou com água na boca com uma receita que viu fazer num programa de televisão ou que leu num dos vários livros de cozinha que tem em casa mas que depois se revelou muito complicada para colocar em prática, seja porque não consegue encontrar os ingredientes ou porque desconhece as técnicas utilizadas ou simplesmente porque tem pouco tempo para estar na cozinha? Desafiámos dois chefs com percursos distintos a ensinar alguns truques para transformar um simples prato numa deliciosa experiência gourmet. Tome nota e inspire-se!

Keep it simple

Na opinião do chef Luís Baena, o primeiro passo é esquecer os termos técnicos como vol au vent, magret, chutney ou carpaccio. «O meu conselho é o seguinte. Keep it simple! Das coisas mais complicadas na cozinha é ser simples», assegura o profissional. Depois, aposte na qualidade dos produtos. «Opte sempre por comprar ingredientes de excelente qualidade e respeite os pontos de cozedura e equilíbrio da refeição». O nome com que se batiza um prato também pode elevar as expectativas.

«Por vezes, vemos pratos com nomes que parecem poesia, mas quando chegam à mesa não passan de um soneto. Numa refeição com vários pratos, é fundamental evitar repetir ingredientes ou bases. Imagine uma empada de perdiz seguida de um strudel de maçã. Não deve servir duas massas na mesma refeição», frisa Luís Baena.

De banal a gourmet

Imagine uma cereja. Não passa de uma peça de fruta, mas «uma cereja com uma raspa de lima pode ser gourmet. Tem tudo a ver com o equilíbrio dos ingredientes», explica Chakall. Já para Luís Baena, o truque passa por olhar para o prato ou receita e questionar «Porque é que tem de ser assim? E se fizesse desta maneira? E se acrescentasse este ingrediente para equilibrar a textura?», sugere.

«Muito do sucesso na cozinha passa pela forma como olhamos para um prato tradicional e como colocamos a imaginação a funcionar», refere. «Finalizar um prato com sementes secas ou folhas desidratadas melhora a apresentação. Exemplo disso é o manjericão frito sobre uma pasta», exemplifica Chakall, que ensina a transformar um prato de cabrito no forno, adicionando «um toque de citrinos e batata doce».

Técnicas que impressionam

Dominar as clássicas técnicas de cozer, assar e fritar é meio caminho andado para fazer sucesso na cozinha. Segundo Luís Baena, a diferença é que atualmente os chefs possuem instrumentos que permitem verificar «pontos de cozedura perfeitos. E isso faz uma enorme diferença», assegura. Chakall destaca ainda técnicas que «impressionam, como o caso da utilização de aparelhos ligados à cozinha molecular, cozedura a baixa temperatura e as espumas».

Se pretende atingir uma cozedura sem falhas compre «sondas ou termómetros, pois já ajuda bastante. Equipamentos como os que usamos na cozinha são demasiado caros para o cidadão comum e, a menos que seja um foodie, não se justifica o investimento», aconselha Luís Baena.

Veja na página seguinte: Como fazer facilmente pratos com influência estrangeira

Influência estrangeira

Experimentar modos de preparação de outros países permite dar uma nova vida a ingredientes comuns. Inspire-se em Itália com a bruschetta, uma fatia de pão torrada no forno, previamente aromatizada com alho e regada com um fio de azeite, que pode ser servida com presunto, legumes ou queijo. Risotos ou o pesto (molho à base de folhas de manjericão, azeite, pinhões, alho, sal e queijo pecorino ou parmesão) são outras sugestões. França pode ser outra fonte de inspiração.

Em vez de temperar a salada da forma habitual, faça uma vinagreta misturando azeite, vinagre, sal e pimenta ou mostarda (opcional) e junte à salada antes de servir. Fã de cozinha libanesa, Chakall não tem dúvidas quanto à receita que escolheria para impressionar os amigos, kibbe nayye. «É uma espécie de tártaro de borrego. Quem imaginaria comer carne de borrego crua?», questiona.

Utensílios que podem fazer a diferença na cozinha:

- Descascador
Um descascador de boa qualidade em forma de U é essencial, seja para descascar legumes, raspar queijo parmesão ou cortar espargos.

- Tenazes
Permitem maior controlo ao grelhar ou virar a carne no churrasco.

- Almofariz
Ajuda a pisar, bater e a obter o sabor de vários ingredientes.

- Facas
Uma faca grande de chef, uma faca pequena para legumes e uma de serrilha. Invista num afiador, mas não o use em facas de serrilha.

- Frigideiras
Modelos com revestimento antiaderente, fundo espesso e pega que pode ir ao forno. Vale a pena ter tamanhos diferentes, pois serão usadas para muitas coisas. Use colheres de pau para não as riscar e arrume-as penduradas, em vez de empilhadas.

- Escorredor
É essencial para fazer excelentes saladas, caso contrário a água que fica nas folhas após a lavagem retira o sabor às folhas e o molho não pega.

Texto: Sónia Ramalho com Chakall (chef) e Luís Baena (chef)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.