A depilação ultrapassou a barreira do género na última década. Hoje em dia os homens também se depilam. Tudo começou com os nadadores de elite, que queriam ter uma pele tão lisa como a dos peixes para bater recordes desportivos e o seu exemplo foi seguido por outros desportistas. Os homens preferem o laser porque é rápido e cómodo, permite uma depilação duradoura e, em muitos casos, definitiva.

Este método também é eficaz para tratar algumas patologias do pelo, como a foliculite (inflamação dos folículos pilosos) e o hirsutismo (pelo forte em zonas pouco comuns), problemas que não afetam apenas as mulheres. O recurso a esta técnica requer, contudo, um diagnóstico e uma avaliação prévia para saber se é indicada ou não.

Cuidados e limitações

A depilação a laser tem, no entanto, algumas condicionantes:

- Não se realiza na parte interna da sobrancelha, por ser pouco seguro para o globo ocular.

- Nos homens, as zonas que respondem melhor a esta depilação são o tórax e o abdómen, e as costas, embora em menor escala.

- No caso da barba, não a elimina, mas ajuda a perder a densidade e a não sofrer irritações quando se barbeia.

- Em cada sessão perde uma percentagem de pêlo que não volta a crescer. Mas se for um homem jovem, enquanto os seus níveis de hormonas masculinas forem altos, está sujeito a um estímulo contínuo de crescimento de pelo nas zonas androgeno-dependentes, entre elas a barba. Neste caso, uma vez finalizado o tratamento, vai precisar de sessões de manutenção de vez em quando.

- É recomendável alcançar o desenvolvimento da puberdade completamente para conseguir os melhores resultados.

- O laser não elimina os pelos brancos nem o pelo fino e loiro, «a não ser que sejam escurecidos com produtos específicos para o efeito», explica Orlando Martins. No entanto, antes de o fazer, consulte-se com o seu dermatologista sobre os produtos indicados para si.

- A depilação laser não pode ser realizada em fototipos muito altos (pele muito escura ou negra) e é contraindicada em peles bronzeadas.

- Se tiver tanto a pele como o pelo escuros ou claros (sem contraste entre si) ou a pele escura e o pelo castanho claro, não há problema, mas terá de tomar mais precauções.

- As peles escuras requerem uma atenção especial. «Os centros onde se faz este tipo de depilação devem, por isso, ter à disposição sistemas que utilizem lasers com comprimentos de onda mais longos», adverte Orlando Martins.

Veja na página seguinte: Os casos em que o recurso ao laser não é aconselhado 

Os casos em que o recurso ao laser não é aconselhado 

Tanto os homens como as mulheres não podem fazer depilação a laser se tiverem algum destes problemas:

- Acne severa

É necessário esperar que a pele esteja limpa.

- Psoríase ativa

Este procedimento é desaconselhado quando o indivíduo tem placas.

- Herpes simplex ativo

Quando aparece uma bolha no lábio. Mas, em estado latente, pode depilar-se.

- Infeção de qualquer tipo e febre

Tem de esperar até estar completamente curado.

- Diabetes tipo 2

É necessário consultar o seu médico de família ou especialista antes de decidir submeter-se a uma depilação a laser.

- Epilepsia

É melhor optar por outro método.

- Tratamentos com determinados medicamentos

A toma de ácido retinoico, de alguns antibióticos ou de outros produtos que provoquem fotossensibilidade também impede o recurso a este método.

Como se processa a depilação a laser

Utiliza-se um laser adequado a cada caso. O objetivo é aquecer a melanina (pigmento natural presente em todo o tipo de pelo, excepto nos brancos ou loiros claros). O especialista usa um comprimento de onda adequado para atravessar as camadas superficiais da pele sem as danificar e que seja absorvido pela melanina do pelo (e também da pele).

Em seguida, a energia luminosa transforma-se em energia térmica (calor), destruindo a matriz do pelo e do folículo piloso. Por isso, o candidato ideal é aquele que tem a pele clara (com pouca melanina) e pêlo escuro (com muita). O motivo? Porque é a melanina que absorve a energia luminosa e aquece. Assim, a pele aquece pouco e o pelo muito, fator imprescindível à sua eliminação.

Veja na página seguinte: Como escolher o laser

Como escolher o laser

O dermatologista tem em conta os seguintes aspetos:

- Densidade da melanina no folículo piloso

É a melanina (pigmento que dá cor à pele e ao cabelo) que absorve a luz do laser, portanto, quanto maior for a sua concentração e quanto mais perto estiver da matriz do pêlo, melhores serão os resultados.

- Densidade da melanina na pele

Segundo explica Orlando Martins, dermatologista, «tem de haver contraste entre a cor do pêlo e a da pele para a depilação ser bem sucedida».

- Grossura do pelo

Quanto mais grosso, mais pigmentação e maior a absorção de energia.

- Profundidade do folículo piloso

No caso dos homens, o pêlo das costas é mais profundo e utiliza-se um comprimento de onda maior.

Preços aproximados:

- Barba e bigode: Cerca de 100 € por sessão.

- Tórax ou abdómen: Cerca de 150 € por sessão.

Existem promoções especiais e possibilidades de financiamento. Os preços podem variar muito em função do local onde fizer a depilação. Coloque-se sempre nas mãos de profissionais qualificados.

Cuidados a ter depois

Utilize um gel com aloe vera durante os três ou quatro dias posteriores ao tratamento. Não lave a cara ou tome duche com água muito quente. Evite ainda a exposição ao sol para reduzir o risco de manchas escuras na pele. Use um protector solar com SPF 50 ou 50+ até terminar completamente o tratamento, preferencialmente até depois de fazer todas as sessões recomendadas, entre as quais passará um tempo variável.

Evite também loções e desodorizantes com álcool nos primeiros dias. Nos 10 a 15 dias seguintes, podem aparecer pequenos pelos, que desaparecem pouco depois. Não se preocupe, portanto. De acordo com o especialista, esses são aqueles que são expelidos do folículo piloso.

Texto: Madalena Alçada Baptista

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.