São a imagem de marca de muitas figuras públicas, nacionais e internacionais. De tal forma que há olhos que nunca vimos. Temos vários exemplos disso. O famoso Martini Man dos anúncios publicitários de há uns anos, que chegou a ser interpretado num popular anúncio pelo então modelo agora ator português Rodrigo Soares, é um deles. Algumas fazem-no talvez por uma questão de marketing, de moda ou, pura e simplesmente, para afirmar a sua maneira de estar na vida, além de proteger a visão.

No entanto, no dia a dia, muitas outras pessoas não se separam do seu par de óculos escuros. Segundo um estudo da Universidade de Londres, autoconfiança e sensualidade são as principais mensagens enviadas ao sexo oposto através deste acessório. Os óculos escuros, garantem os investigadores, conferem um certo anonimato a quem os utiliza. Permitem ver sem ser visto e podem mesmo levar as pessoas a fazer coisas que não fariam se estivessem com os olhos expostos, como topless, por exemplo.

A mulher que influenciou a moda na década de 1960 nos EUA volta, regularmente, a servir de inspiração para as novas tendências de óculos de sol. Óculos grandes, ao estilo de Jackie Onassis, lentes em dégradé e armações em massa, mais do que em metal, em tons âmbar. E, porque a moda é cíclica, os tradicionais óculos Ray-Ban, estilo aviador, são um clássico e voltaram a estar na moda. Mas existem algumas regras que a podem ajudar na escolha do modelo certo para si, regras que não pode descurar.

Em primeiro lugar, os óculos devem ser proporcionais ao tamanho do rosto. Isto significa que os modelos mais pequenos são mais indicados para rostos pequenos e os pares de grandes dimensões ficam melhor em rostos maiores. Essa é a primeira ideia a reter na sua próxima ida às compras. Por outro lado, o formato da armação deve contrastar com o do rosto. Os modelos arredondados ficam melhor em rostos quadrados. Pela mesma lógica, os de linhas direitas assentam melhor em rostos redondos.

Para cada tom de pele existem igualmente armações mais indicadas. Se a sua tez é pálida, experimente armações mais discretas ou com um toque de rosa ou de âmbar. Padrões tipo tartaruga ficam bem a quem tem pele clara e também as armações azuis ou verdes claras tendem a dar cor às bochechas. A pele mais morena fica favorecida com armações douradas ou metalizadas. As armações âmbar, muito em voga, ficam igualmente bem, já o preto pode resultar demasiado pesado em rostos bronzeados.

Moda versus etiqueta

As celebridades foram as primeiras a usar óculos escuros. Depois, o hábito massificou-se e, hoje em dia, quase ninguém dispensa este acessório, especialmente em dias de sol. A moda mais recente, impulsionada pelas estrelas e pelos influenciadores digitais, é usar os óculos escuros em ambientes fechados, nomeadamente em centros comerciais, no metro, nas discotecas, em conferências... Em todo o lado! Na verdade, as atuais lentes permitem uma boa visão em espaços interiores com luz artificial.

Gestos e alimentos que vão proteger a sua visão
Gestos e alimentos que vão proteger a sua visão
Ver artigo

No entanto, há alturas em que não é apropriado manter os óculos escuros, como, por exemplo, quando pretende revelar algo importante a alguém ou quando o outro solicita a máxima atenção. Convém não esquecer que, mais do que um acessório de moda, os óculos de sol são, sobretudo, um objeto essencial para proteger a vista. Tenha sempre isso em conta. "As radiações solares apresentam uma intensidade crescente e o risco de lesões oculares graves tem acompanhado esse fenómeno, pelo que o uso de óculos de sol é cada vez mais importante", sublinha Luís Gouveia Andrade, médico oftalmologista.

E não é só no verão que é importante usar óculos de sol, ao contrário do que muita gente pensa e ao invés do que a maioria ainda faz. "Desde que os óculos sejam de qualidade, a sua utilização não comporta qualquer risco, pelo contrário, mesmo no outono e no inverno existem dias com muito sol e, até em dias enevoados, as radiações nocivas podem atingir a superfície da terra e lesar os nossos olhos", alerta ainda o médico oftalmologista. As crianças também não devem ser esquecidas.

A(s) escolha(s) inteligente(s)

Para ter a certeza de que o modelo que escolheu confere uma proteção eficaz contra os raios solares, existem alguns critérios a ter em conta no momento da compra. Em primeiro lugar, deve adquirir o par numa casa especializada e não em lojas de moda. "Num centro óptico, terá a garantia da autenticidade das lentes, da presença de filtros anti-ultravioleta [UV] apropriados e um adequado aconselhamento em relação ao modelo mais recomendado para cada caso", explica o médico oftalmologista.

A cor das lentes é igualmente um fator a considerar. "De um modo geral, as lentes castanhas oferecem um melhor contraste e uma melhor qualidade de visão", alerta. Depois, convém pensar na finalidade do modelo que está a comprar e nos seus materiais. "Para atividades na neve ou no mar, a luminosidade e refletividade são maiores e a protecção também o deve ser. As lentes de vidro são mais pesadas e correm o risco de partir, pelo que as lentes de material orgânico são preferíveis", avisa.

O modelo ideal para cada tipo de rosto

Antes de adquirir o próximo modelo, olhe-se ao espelho, analise o seu rosto e, se necessário, peça uma opinião a alguém de confiança. "Se pretende uns óculos que durem cinco ou seis anos, opte por uma armação que não passe de moda, preferindo o preto ou o castanho tartaruga", aconselha a consultora de imagem Andréa Schaefer, que deixa ainda recomendações para os tipos de face mais comuns:

- Rosto oval

Quase todos os estilos resultam com um rosto oval. As armações ligeiramente redondas e de dimensões grandes ficam bem. "Convém optar por um modelo não muito largo, apesar da tendência, para não sair fora do rosto", aconselha a especialista.

- Rosto redondo

As armações certas podem fazer com que este tipo de rosto pareça mais longo e fino. Para tal, devem ser da mesma largura ou saírem um pouco dos limites da face. "Prefira linhas rectas ou semirretas, pelo facto de suavizarem e alongarem o rosto", sugere a consultora de imagem.

- Rosto quadrado

Este tipo de face é caracterizado por testa e queixo largos e maxilares salientes. "O rosto é, por si, já muito forte, por isso fuja das armações redondas. Prefira aros com os cantos rectangulares e lentes com corte de nylon, sem armação em baixo, para suavizar o rosto", aconselha a especialista.

- Rosto triangular

É, por norma, caracterizado por um queixo fino e por uma testa mais larga. "As armações mais estreitas e arredondadas vão corresponder às opções mais adequadas", refere a consultora de imagem.

Texto: Vanda Oliveira com Andréa Schaefer (consultora de imagem) e Luís Gouveia Andrade (médico oftalmologista)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.