Aviso à navegação. Pelo título do artigo, deve já estar com o creme de cara na mão a ler atentamente a sua composição e a desejar não encontrar nenhum dos ingredientes de que lhe falamos a seguir. Relaxe e tenha em mente que a eventual volta ao estômago que esta informação lhe possa causar é diretamente proporcional à eficácia dos produtos apresentados e que, provavelmente, não fazia ideia que aplicava na cara. A beleza assim o obriga. Esclarecemos tudo já a seguir.

Leite de burra

Reza a lenda que a Cleópatra se banhava diariamente em leite de burra e que esse seria o seu maior trunfo de beleza, aquele que explicava a pele imaculada e a suposta eterna juventude. Mito ou não, a história pegou e o leite de burra transformou-se na galinha dos ovos de ouro da cosmética contemporânea. E massificou-se. Se a rainha do Egito tinha de ter 500 fêmeas sempre prontas para a hora do banho, hoje em dia basta ir ao supermercado, farmácia ou espaço de saúde e bem-estar e escolher o produto mais à mão. Em loção, creme ou sabonete, como os que a marca portuguesa Phillippe by Almada comercializa.

Não dá para encher uma banheira, é certo, mas os benefícios da aplicação direta são exatamente os mesmos. Por ser rico em vitaminas, proteínas e ácidos gordos que estimulam a produção de colagénio, o leite de burra reclama, para além da tonificação da pele, qualidades rejuvenescedoras. E porquê? Porque, garantem os produtores, o leite de burra apresenta grandes semelhanças com o leite materno humano e tem, por isso, capacidades protetoras e rejuvenescedoras. Visite o site Tomelo.pt e conheça outra marca portuguesa que comercializa cosméticos com este ingrediente.

Veneno de abelha

Durante a menopausa, os níveis de estrogénio e progesterona diminuem, comprometendo a elasticidade da pele. O que fazer? Apostar no veneno de abelha, o mais recente ingrediente-sensação da cosmética, utilizado na pele para que esta pense que foi picada com a toxina melitina presente no veneno e obrigá-la a aumentar o fluxo sanguíneo nessa zona para, assim, estimular a produção de colagénio e elastina, ao mesmo tempo que promove o relaxamento muscular. Melhor amigo da pele de bebé, o veneno de abelha, dizem, é o produto estrela de Kate Middleton, a duquesa de Cambridge, mulher de William de Gales.

Cobre

Ontem era a vitamina A que prometia devolver firmeza à pele, hoje é o colagénio e amanhã pode muito bem ser o ácido hialurónico. Ou outro qualquer! Ciência por ciência, é garantido que tudo isto funciona, mas há ingredientes que se excedem nas promessas de juventude eterna. É o caso do cobre. Unânime entre a comunidade dermatológica, os peptídeos deste metal estimulam a produção de colagénio, elastina e ácido hialurónico e protegem a pele de infeções ou acne.

Mas então os cremes que incluem peptídeos de cobre são perigosos? Não propriamente. Ao contrário de outros metais pesados, como a prata, o risco de intoxicação com cobre é muito baixo, uma vez que este é metabolizado pelo corpo, promovendo, em simultâneo uma drenagem linfática que liberta o organismo de impurezas.

Baba de caracol

A primeira imagem que nos vem à cabeça quando se pensa nela é tudo menos agradável mas a verdade é que a baba de caracol é considerado um verdadeiro tesouro da natureza pelas suas características hidratantes e anti-envelhecimento. Tal como o aloé vera, acelera o processo natural de cicatrização da pele e ajuda a eliminar manchas e marcas de queimaduras. A alantoína que integra na sua composição e os muitos antioxidantes que a inclui tem o poder de reduzir as rugas já existentes, enquanto previne simultaneamente o aparecimento de novas. Além disso, atua como um peeling natural, eliminando as células mortas da pele e os pontos negros, enquanto devolve brilho à epiderme.

Veja na página seguinte: O poder rejuvenescedor do sangue de dragão e do cocó de pássaro

Sangue de dragão

Bem sabemos que os dragões não existem nem estamos a tentar enganá-la, mas só pela curiosidade do nome, este é um ingrediente que merece a nossa atenção. Na verdade trata-se de uma resina recolhida na floresta da Amazónia, numa árvore com o mesmo nome, utilizada pelas tribos pelos seus efeitos benéficos para a pele. Diga de sua justiça, estamos de acordo com os rankings que elegem Angelina Jolie como uma das mulheres mais bonitas do mundo, certo? E estamos também a favor de conseguir uma pele igual à da atriz. O segredo, espante-se, está nesta seiva exótica que promete ajudar a redefinir os contornos do rosto e a retardar o processo de envelhecimento.

Gordura de lã de ovelha

Confesse lá, não sai de casa sem um batom na mala. Seja incolor, de brilho ou vermelhão, há um ingrediente transversal a quase todos, a lanolina, composto de nome pomposo que não deixa adivinhar que se trata, na realidade, de gordura de lã de ovelha. Biologicamente, é uma cera amarelada segregada pelas glândulas sebáceas deste animal e que tem como função protegê-lo dos efeitos do clima, em específico da água, impedindo-a de penetrar na pele, tal e qual os efeitos prometidos pelos hidratantes de lábios, sendo, por isso, ideal para a lubrificação, proteção e tratamento da pele seca. Mas não fica por aqui. A lã também é usada como esfoliante corporal em sabonetes de corpo.

Óleo de peixe

Os ómegas 3 e 6 são ácidos gordos associados ao antienvelhecimento e com benefícios incontornáveis para a saúde. Fornecidos ao corpo humano através da alimentação (salmão, caviar e sardinha são os mais ricos nesta gordura saudável), são também frequentemente incluídos na composição de champôs, condicionadores, perfumes, cremes de rosto e produtos capilares. Para efeitos cosméticos, são, geralmente, retirados de animais como o peixe azul selvagem, cujo perfil nutricional constitui um complemento para reforçar a fixação e crescimento do cabelo e das unhas.

No entanto, deve saber que nem sempre o recurso a este ingrediente é feito de forma insustentável. A Innéov, a propósito do suplemento capilar Densilogy, enriquecido com óleo de peixe azul selvagem, está a desenvolver o projeto «Mother of the Sea», que pretende devolver ao oceano um peixe bebé por cada peixe pescado.

Cocó de pássaro

Se lhe disséssemos para se hidratar com dejetos de ave, apostamos que a resposta seria redondamente negativa. E faz sentido, tendo em conta a origem do produto. Mas a verdade é que este é um dos ingredientes mais utilizados nos produtos hidratantes. Naturalmente que o cocó de pássaro não vem diretamente referenciado na lista de compostos, até porque seria capaz de não ser bem recebido pelo público, mas com certeza que já se cruzou com loções enriquecidas com ureia.

São ambos mais ou menos a mesma coisa. A ureia é um composto orgânico derivado da urina e que é frequentemente encontrado nos dejetos de pássaro, um excremento rico em nitrogénio, aminoácidos e, claro, ureia, cuja função é a de hidratar a pele. Chocada? Não é caso para isso. A boa notícia é que a ureia utilizada na cosmética é produzida em laboratório, logo, é uma reprodução e não cocó propriamente dito.

Texto: Nelma Viana com Luis Batista Gonçalves

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.