É uma realidade transversal a todos os géneros mas as mulheres sofrem mais. Se, a partir dos 25 anos, começam a ser visíveis as primeiras rugas de expressão e, aos 30, já se pode notar alguma flacidez, dos 35 em diante, a mulher é obrigada a reforçar a atenção com a pele. É a partir desta idade que se atinge a maturidade hormonal e, por consequência, a renovação celular, que garante a hidratação cutânea, torna-se mais lenta.

O abrandamento do processo de renovação celular é o grande responsável natural pela perda de firmeza da tez. "O colagénio deixa de se renovar tão frequentemente, as fibras de elastina vão desaparecendo, pelo que, depois dos 40 anos, a maior parte das mulheres necessita de cremes que possam ajudar o desenvolvimento de novo colagénio, elastina e, promovendo-os, levar à renovação celular", esclarece Fernando Guerra.

É, por isso, importante, segundo o dermatologista, proteger a pele madura sem esquecer que "a exposição solar, a poluição e o tabaco são os principais inimigos de uma tez saudável", alerta o especialista. À lista destas ameaças externas à beleza junta-se ainda uma alimentação nem sempre saudável, repleta de açúcares, gorduras e produtos processados, bem como a crescente exposição a radiações e a ondas eletromagnéticas.

Estratégias de beleza a adotar o quanto antes

Redobrar os cuidados diários é, por isso, a melhor garantia de uma pele saudável e permite responder às mudanças hormonais. Mais do que nunca, é agora importante, aconselha o dermatologista, "aplicar um creme de dia e um creme de noite na face, usar um esfoliante suave duas ou três vezes por semana e, eventualmente, tonificar a pele, para além de usar um fond de teint oil free e desmaquilhantes suaves", sugere ainda.

No momento de adquirir um creme anti-idade, Fernando Guerra sugere que privilegie a presença de ingredientes como o "ácido ascórbico [vitamina C], o ácido alfalipóico e a dimetilaminoetanol [DMAE]". Embora as fórmulas anti-envelhecimento ajudem a fornecer as propriedades indispensáveis para uma pele saudável, o especialista lembra que nada é mais importante do que resguardá-la do seu principal inimigo.

"Nunca se deve expor ao sol sem protetor solar com um índice mínimo de [FPS] 30 durante o ano e, no verão, sempre de 50+, independentemente de ter um fototipo dois [pele mais clara, que raramente bronzeia] ou três [pele que bronzeia sempre], assim como nunca se deve expor entre as 12 e as 17 horas, de maio a outubro", refere. Caso a sua tez manifeste sinais evidentes de envelhecimento, deve consultar um dermatologista.

Os diferentes tratamentos a que pode recorrer

Segundo Fernando Guerra, dermatologista, são vários os procedimentos estéticos a que pode recorrer para atenuar as marcas da passagem dos anos:

- Fotorejuvenescimento

Tratamento realizado com uma máquina de luz pulsada intensa (IPL), que confere uniformidade de cor, reduz manchas e
telangiectasias (pequenos vasos visíveis na face), aumenta o brilho e a tensão da pele da face, pescoço e decote.

- Radiofrequência unipolar e bipolar

Método que proporciona a neoformação do colagénio e exerce um efeito lift suave sobre a face e pescoço.

- Resurfacing com laser de CO2 fraccionado

Técnica que combate as rugas superficiais e profundas, como as verticais do lábio superior, assim como reduz o aparecimento e o desenvolvimento de cicatrizes menos profundas e de manchas.

Texto: Fátima Lopes Cardoso com Fernando Guerra (dermatologista)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.