Mais do que eficácia, aquilo que procuramos num creme são sobretudo...
emoções positivas!

Surpreendida? Um novo estudo da Universidad del País Vasco, em Espanha, concluiu que
é a sensação de que com aquele creme vamos cuidar de nós e melhorar
a aparência, que nos leva a optar por determinado produto de beleza. Está-se a rever neste comportamento?

Os investigadores inquiriram 355 mulheres, entre os 18 e os 50 anos,
e constataram ainda que o design das embalagens é um fator decisivo. «Inúmeras vezes as pessoas usam cremes por moda ou porque alguém
conhecido comprou e gostou, ignorando o seu tipo de pele. Também dão
importância às marcas e não à qualidade dos produtos ou de que necessitam»,
alerta Fernando Guerra, dermatologista. Para que não caia no mesmo erro
(nem noutros), o especialista comenta as principais
gafes que cometemos diariamente.

1. Aplicar o creme de rosto no contorno de olhos

«Existem fórmulas específicas
para o contorno de olhos que estão
adaptadas à sensibilidade da pele das
pálpebras e contêm substâncias que,
sendo as mesmas do creme de rosto,
são, por vezes, em menor percentagem,
por essa razão», explica Fernando Guerra.

2. Não usar protetor
solar na cidade

«O sol da cidade exige o mesmo
cuidado que o da praia e o fotoenvelhecimento
previne-se diariamente.
Para além da limpeza e da hidratação
diária, a aplicação de um fotoprotector
mínimo 40 (durante o inverno) deve
fazer parte dos hábitos diários, qualquer
que seja o fototipo e a latitude. No
verão deve usar sempre um fator de
proteção solar 50+», recomenda o especialista.

3. Não hidratar
o pescoço e o decote

«Tanto o pescoço como o decote
sofrem também de envelhecimento.
O pescoço de flacidez e da acentuação
do platisma (músculo que se sobrepõe
ao esternocleidomastoideu e que é
responsável pelo abrir e fechar da
boca e por várias expressões faciais),
o decote de fotoenvelhecimento pela
exposição diária à luz», explica Fernando Guerra.

«Por isto, além
de produtos contendo tensores, como
hexapeptídeos, os compostos com
hidratantes e antioxidantes antienvelhecimento,
como DMEA (dimetilaminoetanol),
ácido alfalipóico e vitamina
C éster, devem ser utilizados em formulações
próprias, pela sensibilidade
da zona, assim como um protetor solar
com fator 50+ diariamente», sugere o especialista.

4. Tratar a queda de
cabelo sem consultar
o dermatologista

«É comum as pessoas com queda de
cabelo apenas recorrerem ao dermatologista
depois de um rol de tratamentos
que geralmente começam no
cabeleireiro, depois nas farmácias e até
definido com base nas amigas que já
foram ao médico, usando o que este
prescreveu. A queda de cabelo deve
ser entendida como uma doença ou
um sinal que pode alertar para outra
doença e pode até ser provocada pela
toma de certos medicamentos (para
a hipertensão, antidepressivos, anticoagulantes
orais) e, como tal, exige
sempre a consulta de um médico, preferencialmente
um dermatologista», recomenda Fernando Guerra.

5. Não se desmaquilhar
à noite

«Deitar-se com a pele cheia de
impurezas e sujidade, tendo em conta
que algumas maquilhagens se tornam
oclusivas, pode levar ao aparecimento
de poros dilatados ou borbulhas.
Deve usar sempre uma água ou loção
desmaquilhante e aplicar um creme de
noite, após um tónico ou um serum», afirma Fernando Guerra.

6. Espremer as borbulhas

«Erro grave e com consequências
por vezes irreversíveis.
As pápulas ou pústulas acneicas,
tanto na acne juvenil como na tardia,
devem-se a alterações hormonais ou
ao stress e representam uma doença
da secreção sebácea. Ao espremê-las,
além de estar a danificar a lesão sebácea
está também a macerar a pele sã
que a envolve levando a uma cicatriz
que se pode traduzir numa mancha
ou depressão. Em vez disso, deve usar
tópicos contendo antibióticos ou peróxido
de benzoíl para secar as lesões
sem as traumatizar», alerta Fernando Guerra.

Veja na página seguinte: Protege convenientemente os seus lábios?

7. Humedecer os lábios
quando estão
desidratados

«É uma reação quase instintiva humedecer
o que está seco, mas a saliva
só vai fazer com que os lábios fiquem
ainda mais secos e até fissurados.
Usar um stick adequado pode levar à
melhoria rápida e efetiva», recomenda o especialista.

8. Ter as unhas
constantemente pintadas

«As unhas podem enfraquecer
e até mesmo tornarem-se quebradiças
se estiverem permanentemente
cobertas de verniz. Deve fazer intervalos
de, pelo menos, um ou dois dias
por semana», aconselha Fernando Guerra.

«Deve, contudo, fazer intervalos de mais tempo se ficarem
frágeis. Nessa altura, pode aplicar
um endurecedor de unhas ou tomar
cistina [um aminoácido natural formado pela dimerização da cisteína]», refere o dermatologista.

9. Tratar acne adulta como
se fosse acne juvenil

«O acne tardio é diferente do
juvenil, não só na sua origem como
nas suas vertentes clínicas. Enquanto
o juvenil pode ser combatido através
dos produtos que se utilizam, no tardio
a pele geralmente é sensível e intolerante,
como na rosácea (couperose).
Assim os produtos a utilizar devem ser
diferentes e, de preferência, em ambos
os casos prescritos por um dermatologista», defende.

10. Mexer constantemente
nos cabelos

«Mexer nos cabelos repetidamente
vai sujá-los mais depressa
e levar ao seu enfraquecimento. Pelo
mesmo motivo, deve evitar os brushings
e alisamentos repetidos», explica Fernando Guerra.

11. Usar cosméticos
fora de prazo

«Depois de aberto, um cosmético tem uma validade, referida na embalagem, geralmente de seis meses a um ano. Ultrapassado esse tempo, mais do que poder lesar a pele, ele torna-se inativo, isto é, nada faz, perde as suas propriedades, sejam elas o poder hidratante, de antienvelhecimento ou a proteção solar. Aqui cabe uma chamada de atenção para os protetores solares, que nunca devem ser utilizados de um ano para o outro», assegura o dermatologista.

12. Não utilizar produtos anti-idade antes dos 35 anos

«Os produtos anti-idade devem ser utilizados logo que as primeiras rugas estáticas surjam ou que as dinâmicas se acentuem. O uso desde sempre de um protetor solar elevado e adequado é fundamental para fazer a profilaxia do fotoenvelhecimento. A própria toxina botulínica pode ser usada para adiar ou evitar a formação de rugas estáticas», explica Fernando Guerra.

13. Limpar a pele apenas

quando se maquilha
«A pele da face e do pescoço deve ser lavada ou limpa, pelo menos, duas vezes por dia com um sabonete suave sem detergente (um syndet) ou um leite», aconselha o dermatologista, autor de vários livros sobre o funcionamento dos mecanismos da pele.

14. Combater a celulite apenas através de cremes

«A celulite instala-se devido a alterações dos estrogénios no desenvolvimento da mulher. A falta de exercício físico, a alimentação errada e a tendência genética fazem o resto. Sendo assim, é óbvio que os cremes ditos anticelulíticos pouco fazem para lá da vantagem da massagem durante a sua aplicação. Para além da prática de exercício físico regular, de uma alimentação saudável e da ingestão de muita água fora das refeições, a consulta de um dermatologista orientará para tratamentos que podem ir desde a cavitação à radiofrequência, passando pela endermologia e a carboxiterapia», explica Fernando Guerra.

15. Mudar de champô
constantemente

«O uso continuado do mesmo champô é desaconselhado pelo hábito que se instala nos cabelos seborreicos ou com descamação. Mas a mudança constante de champô também é desaconselhável, pois pode levar o couro cabeludo a responder com secura ou oleosidade aos diferentes produtos ditos antisseborreicos que esses champôs possam conter. Assim, é aconselhável usar um champô neutro adequado ao tipo de cabelo e o uso de um condicionador para disciplinar os fios capilares e facilitar o pentear», recomenda o dermatologista.

Texto: Vanda Oliveira com Fernando Guerra (dermatologista)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.