Os bons exemplos devem ser sempre seguidos e os dos bons alunos não devem ser menosprezados por quem pretende conseguir boas notas. Jorge Rio Cardoso, professor do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa, autor do livro «Este Ano Vais Ser o Melhor Aluno! Bora Lá?», publicado pela editora Guerra & Paz, elaborou um plano que vai transformar o seu filho num estudante metódico e organizado.

Estes são os passos em que o deve ajudar:

- Programação do estudo

A sua definição é importantíssima e vai definir o sucesso global. É muito diferente estudar perto da data do teste e lidar com essa enorme pressão ou ter um método contínuo.

- Momentos de estudo

Existe uma fase de menor concentração, quando são reunidos os apontamentos ou se passa as aulas a limpo. Depois, deve calendarizar-se quando trabalhar essa informação, coordenando tudo com os tempos livres.

- Esquemas, diagramas e mapas concetuais

Elaboração de um mapa mental que consolide conceitos através de uma folha síntese que vai reunir a matéria dada. Isso ajuda a localizar assuntos já estudados ou novas temáticas.

- Folha em branco

É uma consequência da folha síntese. Consiste em preencher essa folha com o já interiorizado, de uma forma esquemática, originando um mapa mental que permite a interiorização de conceitos e associações de ideias.

- Dar uma aula

Sozinho ou na presença de um colega. A ideia é explicar conceitos da matéria, em voz alta, ouvindo-se ou fazendo-se ouvir. Para organizar o pensamento, recomenda-se, por exemplo, partir das ideias gerais (abranger toda  a matéria) para o particular (cada ponto da matéria).

Veja na página seguinte: 7 erros a combater para vencer o insucesso escolar

7 erros a combater para vencer o insucesso escolar

1. Desmotivação e falta de resiliência

«Os pais devem tentar transformar os filhos em vencedores, não no sentido de quem tem as melhores notas, mas de quem nunca desiste de tentar melhorar», sugere Jorge Rio Cardoso.

2. Falta de concentração

«Podemos contrariar essa questão fora da escola, com uma atividade que permita criar regras, método, que depois sejam transferidos para o estudo. O desporto e a música são exemplos», refere o especialista.

3. Indisciplina

«Está diretamente associada à própria educação, pois o comportamento do aluno da escola reflete o que a criança/jovem é em casa. É decisivo definir limites e regras desde cedo», adverte o professor universitário.

4. Falta de criatividade

«Quando não se estimula mais do que reproduzir aquilo que ouve, o espírito crítico não se desenvolve e a apreensão de conhecimento estagna», critica Jorge Rio Cardoso.

5. Irresponsabilidade

«Deriva da educação. Sem regras, a criança vai desculpabilizar-se e achar que a culpa é sempre dos outros, do professor que embirra aos pais que não ajudam», defende o especialista.

6. Dependência

Não alimente a falta de autonomia, pois «deriva em desinteresse», refere o docente. «Se a criança só estuda obrigada, dificilmente se melhora o aproveitamento», acrescenta ainda.

7. Dificuldades de interpretação

«Por vezes, o aluno sabe a resposta, mas não consegue entender a pergunta.  A solução passa por uma maior prática da leitura e da escrita», salienta o professor universitário.

Texto: Carlos Eugénio Augusto com Jorge Rio Cardoso (docente do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.