“A informação que temos é que amanhã [quarta-feira] a escola não vai abrir”, afirmou o presidente da Junta de Freguesia da Estrela, Luís Newton (PSD), explicando que o edifício escolar foi afetado ao início da tarde de hoje pela queda de uma árvore de grande porte, que “fez um buraco no telhado”.

Em declarações à agência Lusa, Luís Newton disse que as equipas da câmara estão a fazer uma avaliação dos danos, para “avaliar e implementar, certamente, um projeto de reparação da escola, para que o mais rapidamente possível ela possa estar novamente a funcionar”.

Sem indicar quando é que a escola poderá reabrir, o autarca da freguesia da Estrela perspetivou que na quarta-feira seja possível “ter uma noção muito clara” sobre as intervenções necessárias no edifício escolar.

“O nosso foco, neste momento, é garantir a integridade estrutural do edifício, para garantir a segurança das crianças”, indicou Luís Newton, manifestando-se disponível para apoiar na intervenção necessária, que permita que as crianças possam voltar à escola “o mais rapidamente possível”.

Localizada na Tapada das Necessidades, a Escola Básica Fernanda de Castro, que tem 1.º ciclo e jardim de infância, conta com “cerca de 70 alunos”.

A queda da árvore sobre o telhado da escola ocorreu cerca das 14:00, sem registo de feridos, e provocou, também, “uma rotura nas canalizações”, referiu o autarca.

Na freguesia da Estrela, além desta escola, o fenómeno atmosférico de “vento extremo” provocou danos estruturais no edifício do Banco Alimentar Contra a Fome, em que “o telhado voou”, e no Jardim Elisa Baptista, que “está completamente destruído”, com árvores caídas.

“Nestas situações, a resposta tem de ser rápida. As nossas equipas dos espaços verdes e da higiene urbana já começaram a trabalhar no planeamento e amanhã [quarta-feira] começarão a trabalhar no terreno para reabilitar o nosso jardim”, informou a Junta de Freguesia da Estrela, na sua página da rede social Facebook.

Relativamente a danos em habitações, Luís Newton indicou que a Junta de Freguesia da Estrela foi contactada por duas famílias que relataram a queda de árvores sobre as casas, situação que estava a ser acompanhada, inclusive para perceber se é necessário que sejam realojadas.

“Hoje, entre as 13:55 e 14:40, um pequeno tornado atravessou a Estrela, deixando para trás um rasto de destruição”, expôs a Junta de Freguesia, na rede social Facebook, agradecendo o “fantástico trabalho” das equipas dos espaços verdes e da higiene urbana, bem como as equipas da proteção civil da Câmara Municipal de Lisboa, a que se soma a “rápida prontidão” da equipa de obras que está, neste momento, a tentar sanar questões relacionadas com a danificação de instalações.

A zona de Alcântara, em Lisboa, foi hoje afetada por “um tornado de fraca intensidade”, segundo Patrícia Marques, meteorologista de serviço do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que explicou ter-se tratado de “uma supercélula, que passou com bastante atividade e fez um movimento rotacional que terá resultado na imagem semelhante a um funil”.

O “fenómeno de vento extremo” foi detetado pelos dados de radar do IPMA e teve “curta duração no tempo”.

A Proteção Civil de Lisboa registou hoje 89 ocorrências devido ao mau tempo, entre as 13:00 e as 15:00, afetando sobretudo as freguesias de Alvalade e de Alcântara, com diversas inundações, quedas de árvores e viaturas danificadas.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.