Atividades fora de casa

Atividades artísticas

tais como a pintura, o desenho, a escultura, a música ou a dança, permitem à criança desenvolver o seu lado criativo e facilitar-lhe a expressão de emoções com o mínimo de distrações, uma vez que a concentração é um requisito fundamental para realizar tais atividades. Através do desenho e da escultura, em particular, a criança aprende a ter maior controlo na sua hiperatividade-impulsividade, porque são atividades que a forçam a permanecer concentrada e quieta e, ao mesmo tempo, a ser mais organizada, por exemplo, ao ser estimulada a manter a sua área de trabalho limpa.

Atividades desportivas rápidas

como o futebol e o ténis, facilitam à criança a libertação de energia e, ao mesmo, estimulam-na a interagir e colaborar com os seus pares, e a ter de compreender e respeitar um determinado conjunto de regras.

Atividades desportivas individuais

tais como a natação, a corrida, a bicicleta ou a escalada, são úteis no caso de crianças com PHDA que apresentem sérias dificuldades relacionais/sociais e psicomotoras.

Atividades coletivas não desportivas

tais como o escutismo, permitem à criança interagir com os seus pares através de uma variedade de atividades, e desenvolver uma noção de equipa e de comunidade, por exemplo, ao terem de cumprir objetivos durante a execução de serviços que ajudam o grupo a que pertencem ou a própria comunidade.

Atividades dentro de casa

Fazer coleções

sobre um assunto específico que seja do interesse da criança (por exemplo, selos, miniaturas, fotografias ou histórias de banda desenhada), vai encorajar a criança a interessar-se e a aprender mais sobre um determinado assunto, ao mesmo tempo que lhe dá a oportunidade de estabelecer e cumprir pequenos objetivos. Ter uma coleção pode ajudá-la a desenvolver a sua capacidade de concentração e perseverança ao dar-lhe uma perspetiva de meta a ser alcançada, ao mesmo tempo que que lhe permite desenvolver a autoestima que resulta de alcançar um objetivo e adquirir um maior conhecimento em relação a determinado assunto.

Associar uma música à tarefa

que a criança tem de executar, de modo a torná-la mais agradável e divertida. A música deverá ser do gosto da criança, podendo criar-se uma letra ou palavra de ordem associada à melodia, que ela vai cantando à medida que cumpre a tarefa.

Leitura de histórias em família

ao longo das quais o pai e a mãe vão fazendo perguntas acerca do enredo para manter a criança atenta e concentrada, permitindo-lhe um maior envolvimento e estímulo do que se estivesse apenas sentada e a escutar. Exceto se a história for contada à hora de ir dormir, os pais podem incentivar a criança a encenar uma das personagens, tornando a leitura muito mais interativa e divertida.

Construções em lego ou puzzles, quebra-cabeças e jogos de adivinha

feitos sob a orientação dos pais, são atividades que ajudam a criança a manter-se quieta e focada, desenvolvem a sua resistência à frustração e, ao mesmo tempo, proporcionam-lhe a satisfação de ser capaz de completar um projeto e sentir-se realizada com isso.

Vários jogos

como xadrez, damas, cartas, sopas de letras, jogo das diferenças, labirintos, sudoku, têm a vantagem de promover a capacidade de concentração e a memória de curto prazo criança com PHDA.

Para saber quais as atividades mais apropriadas a cada criança, é aconselhável consultar um técnico especializado (psicopedagogo ou psicólogo educacional) que poderá ensinar-lhe estes e outros jogos lúdicos úteis para trabalhar no dia-a-dia as dificuldades da criança que apresenta um quadro de PHDA.

Artigo publicado por SEI - CENTRO DE DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.